sexta-feira, 3 de outubro de 2014

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

A Ignorância do Pré-conceito

Vivemos em uma paranoia pós-moderna de um discurso fictício da felicidade constante. Observe as redes sociais. Quantos publicariam fotos de um “velório”? Todos em um frenesi para demonstrar que estão felizes e que desejam realmente a felicidade. Quando na realidade, se constrói uma postura imatura para lidar com as mazelas da vida. Fico então a me perguntar: Quem realmente é feliz? Quantos realmente são felizes?

Há aqueles que se tornam tão íntimos do Divino que espontaneamente perdem o medo de assumir sua história, adquirem força o suficiente para reconhecer suas fragilidades e por fim, tornam-se emocionalmente saudáveis.

São os que compreenderam o beneficio do "mal", pois é na fornalha que crescemos, é no inverno da alma que se aguarda a primavera. Mais aprendemos quando sofremos do que quando nos alegramos, afinal de contas, quantas grandes lições extraímos em meio a felicidade? Quando tais momentos chegam, desejamos apenas usufruir.

Por outro lado, há os que são tão expressivos em comentar o mundo em que estão, mas emudecem diante do mundo que são. Vivem o paradoxo da solidão. Convivem com multidões e ao mesmo tempo, estão isolados dentro de si, construindo uma ditadura.

Para esses, suas verdades são eternas, o mundo é apenas do tamanho da sua cultura. Rígidos na maneira de pensar, vivem um cárcere intelectual. Não ousam duvidar de seus conceitos para se esvaziarem intelectualmente e se abrirem para outras possibilidades de pensar. Vivem a ditadura do preconceito e negam quaisquer possibilidades de derrubar os dogmas de sua mentalidade.

Esses, são os que jamais se introduzirão para uma nova maneira de ver a vida e compreender o mundo. E ao observarem a vida alheia, não cogitam acerca das origens do observado. Não se preocupam em questioná-lo honestamente. Para eles, o individuo observado jamais derramou lágrimas, não possuíra uma família, não tivera infância, não sofrera, não construíra relacionamentos, enfim, não possui uma história. Para os ditadores do preconceito, a história das pessoas é anulada.

Por fim, cabe ressaltar que o ser humano é uma grande pergunta ambulante. Vaga por dezenas de anos procurando respostas e tentando explicar o mundo, quando na realidade, tem que admitir que explicar a si mesmo é o maior desafio da sua própria inteligência.

Felizes são aqueles, que observando, procuram encaixar as peças do quebra-cabeça interior.


J. R. Habkost

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Noé e o Circulo com Ponto



Ultimamente tem circulado nas redes sociais este vídeo. Por coincidência (ou providência) obtive conhecimento justamente no contexto da preparação de uma releitura sobre o filme Noé com uma abordagem cientifica quanto ao dilúvio e uma leitura do roteiro do filme com base nas cenas “chave” do mesmo.

Quanto ao filme propriamente dito, cabe citar que Aronofsky (o diretor) afirmou que “Noé é o filme bíblico menos bíblico de todos os tempos”... “E não me importo nenhum pouco com as avaliações! Meus filmes estão acima das qualificações.”.1

Em sua critica ao longa-metragem o mestre em Comunicação Contemporânea Wilson Ferreira disse: “Aronofsky subverte o famoso personagem bíblico através de uma releitura gnóstica e cabalística. O diretor não só abandonou a Bíblia como transformou a Serpente do Jardim do Éden no personagem principal, trazendo para as telas a antiga versão gnóstica do mito do Paraíso, sob uma embalagem atual política e ecologicamente correta.”. 2

Pois bem, o filme é permeado por inúmeras simbologias em seu roteiro bem como em seus cenários, porém vamos nos deter apenas aos minutos finais.

Após Noé “abandonar” a vontade do “criador” de assassinar/sacrificar as netas do personagem, o mesmo finaliza toda a história em uma cerimonia de "benção/batismo" às herdeiras, implicando em manter o sol de fundo e envolver o seu braço na pele da serpente do Éden para abençoar as crianças. No cenário, também temos uma “bandeira” tremulando ao fundo com um símbolo do circulo com um ponto ao centro.

Segundo o artigo intitulado “O ponto dentro do círculo” proveniente da ordem maçônica de Itapoã, Vila Velha no ES, o símbolo significa:

O Templo Maçônico, assim como tudo o que está em seu interior, representa a universalidade da nossa Instituição. Assim como o Templo, o Círculo com Ponto no Centro também vai da superfície ao centro da Terra. Por isso mesmo, ao passar pela Prova da Terra, o profano morre e o Iniciado renasce dentro do símbolo iniciático da geração, o Círculo com o Ponto...”. 3

Sem mais delongas, o que Noé realiza é uma cerimonia de iniciação, uma vez que abandonou o Criador (linguagem utilizada no filme) e envolveu-se com a serpente do Éden. Há outras fontes que referenciam o símbolo como uma representação do sol.


Agora o que é mais interessante quanto ao deus credibilizado pela maçonaria e definido por Alberte Pike, é que é justamente o personagem do Criador no filme, um ser tirano, maléfico e a serpente é a portadora da sabedoria, da luz e do conhecimento, posta em evidência como sendo o lado benéfico da história:

“...a religião maçônica deve ser, por todos nós iniciados dos altos graus, mantida na pureza da Doutrina Luciferiana. ...a verdadeira e pura religião filosófica é a crença em Lúcifer, o igual de Adonai, mas Lúcifer, deus da luz e deus do bem, está lutando pela humanidade contra Adonai, o deus das trevas e do mal.”.4

E como bem afirmou Aronofsky, “Noé está adorando um falso deus, maníaco e homicida. Quanto mais Noé é fiel e “piedoso”, mais homicida ele se torna. Ou seja, a cada momento ele se torna a imagem e semelhança do “criador”...”.5

Com este contexto, não é interessante que o mesmo símbolo apareça nas cenas do vídeo One Human Family, Food for All (Uma Família Humana, Comida para Todos)? Repare no roteiro da animação, pois nas cenas inicias uma luz emana do circumponto (referência à luz solar), percebe-se que representantes de várias etnias estão prostrados diante do símbolo tentando se alimentar, divididos pelo possível egoísmo humano todos competem pelo alimento até uma mulher tomar a iniciativa de alimentar o próximo, a partir deste momento todos em um pensamento unificado pela iniciativa de uma mulher, alimentam uns aos outros prostrados diante do símbolo “iniciático” - alimentados pelo sol.

Para quem entende um pouco das profecias descritas no livro de Apocalipse, fica fácil de compreender que a animação trata de um pensamento unificado entre as nações levando-as a uma adoração ao sol, liderada por uma instituição religiosa (mulher/igreja - Efésios 5:23).

Como bem disse o criador da TV, Vladímir Zvoríkin, “Eu criei um monstro capaz de fazer uma lavagem cerebral em toda a humanidade. Esse monstro vai levar o nosso planeta a um pensamento unificado.”6

Vladímir sabia o que estava dizendo e nós que dedicamos a vida ao estudo e prática dos ensinos bíblicos deveríamos saber também que quanto mais nos aproximamos do conflito final, mais os meios de comunicação comunicarão os enganos provenientes do inimigo de Deus. Estejamos, pois atentos e vigiando, renovando nossa mente para experimentar a boa e perfeita vontade de Deus.

Todo cristão precisa manter-se constantemente em guarda, vigiando todas as avenidas da alma, pelas quais Satanás poderia ter acesso. Deve orar por auxílio divino e, ao mesmo tempo, resistir resolutamente toda inclinação para o pecado. Mediante a coragem, fé e luta perseverante, ele pode vencer. Deve, porém, lembrar-se que, para obter a vitória, Cristo deve permanecer nele e ele em Cristo.”7

Referências
1- Darren Aronofsky, The New Yoker – 17/03/2014 - http://www.newyorker.com
2- Prof. Wilson R. V. Ferreira – http://cinegnose.blogspot.com.br
3- Cavaleiros da Luz, O Ponto Dentro do Círculo – cavaleirosdaluz18.com.br/trabalhos.asp
4- Albert Pike, Instructions to the 23 Supreme Councils of the World, July 14, 1889. Recorded by A.C. De La Rive in La Femme et l'Enfant dans la FrancMaconnerie Universelle on page 588.
5- Darren Aronofsky, Sympathy for the Devil - drbrianmattson.com
6- Vladímir Zvoríkin, Gazeta Russa – 03/08/2014 - http://br.rbth.com
7- Ellen G. White, Fé Pela Qual Eu Vivo, pág. 135

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Roma - Uma História Mal Contada



ROMA - Uma História Mal Contada

- Dos deuses pagãos aos santos cristãos;
- Do sétimo ao primeiro dia;
- De Platão ao inferno de Dante.
 Um resumo do impacto na cultura e compreensão religiosa desempenhada pelo império Romano.

Obs.: devido a problemas técnicos, foi possível apenas disponibilizar as imagens iniciais e finais desta aula, os demais trechos são preenchidos pelos slides da palestra.

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Sua Igreja é chata?

Nearer, My God, to Thee

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Veganos em Florianópolis


Nota: Embora não tenha sido declarado na matéria o Adventismo (até por não ser o foco, mesmo que tenha sido citado e explanado nos "bastidores"), fica implícito nas entre-linhas um objetivo maior no estilo de vida. Foi gratificante poder participar e de alguma forma contribuir para o avanço da mensagem de saúde que com tanto carinho foi confiada por Deus aos adventista à mais de 100 anos.

Segue a matéria:

De bolonhesa de soja a salada e massas. A vegetariana Gabriela Andrade, 36 anos, nunca teve problemas em comer bem e se manter saudável. A carne não faz parte de seu cardápio há 20 anos, mas ela garante que não faz falta. “A digestão é melhor e não sinto falta da carne, aliás, nunca fui muito fã”, garante. Atleta, ela não tem dificuldade para comer o que gosta e fazer um prato bem colorido e saboroso. Gabriela mantém na alimentação os ovos e derivados do leite – muitos vegetarianos não se alimentam de ovos e leite.

Encontrar um vegetariano em Florianópolis não é uma tarefa difícil. A cada dia, novas pessoas optam por uma alimentação mais saudável e regrada. Mas a falta de locais que ofereçam este tipo de alimento ainda é um problema para alguns vegetarianos. É o caso da estudante Bárbara Kassulke, 24. “Tenho dificuldades para encontrar alimentos, pois quase tudo tem carne em comida pronta na rua, mas cozinhando em casa fica mais fácil”, garante.

Para Bárbara, é preciso mais restaurantes vegetarianos na Capital, e também maior inclusão de alimentos sem carne nos restaurantes e cafeterias. “Conheço, no máximo, três restaurantes não vegetarianos que servem soja”, afirma.

Com uma alimentação bem reforçada, saúde em dia e o acompanhamento de uma nutricionista, Gabriela está preparada para os treinos diários de corrida. O fato de ser vegetariana nunca atrapalhou essa rotina. Desde os 18 anos foram mais de 150 provas disputadas.

Mas hoje, depois de tantos anos, Gabriela encontra um grande desafio: ter comida vegetariana para levar em uma corrida na Amazônia, que durará seis dias. São 254 quilômetros de prova na Jungle Marathon.
Como é uma corrida autossuficiente e no meio da floresta, cada competidor precisa levar seus próprios suplementos desidratados. “Ainda não sei o que farei a respeito. Estou em contato com pessoas que participaram da prova e que sejam vegetarianas, mas ainda não encontrei quem pudesse me auxiliar”, diz.

A luta dos veganos
Se quem não come apenas carne já tem dificuldades para encontrar locais que ofereçam boas opções, imagina para os veganos, que além dos alimentos derivados de carne excluem da dieta todos os produtos de origem animal, tanto da dieta como de tudo que consomem, incluindo cosméticos, vestuário e calçados. Ou seja, os veganos excluem qualquer forma possível de exploração animal de seus ingredientes ou processos de manufatura.

Há três anos em Florianópolis, o designer gráfico Jean Rosa afirma que a maior luta é por locais que ofereçam lanches veganos, pois hoje as opções são bem restritas. Jean é ainda mais radical. Ele restringe também de sua dieta as bebidas alcoólicas, café e evita os corantes. “Vejo a questão da ética, mas também da saúde”, conta o designer, que tem o hábito de ler rótulos para saber exatamente o que os produtos oferecem.

Granola, frutas, doces integrais e carne de soja fazem parte da alimentação de Jean. Apesar de precisar se atentar aos detalhes, ele não reclama, pois a prioridade é a saúde. “Sempre tive problemas respiratórios e não encontrava solução. Comecei a buscar uma alimentação mais regrada e notei logo no início uma respiração melhor, um vigor físico. Raramente fico gripado e me sinto mais leve”, diz.
Jean é vegano há oito anos e garante que para uma alimentação equilibrada, não precisa de muito segredo: “Basta ter um prato bem colorido e variado, com leguminosas, vegetais”.

Sabiá Burguer, um slow food que deu certo
Há pouco mais de um ano em Florianópolis, o casal vegano Ingryd Calazans e Ivan Silva sentiam falta de um local que oferecesse lanches especializados para o público vegano. Para sair da mesmice, e oferecer às pessoas que sentiam essa mesma carência, o casal montou a primeira hamburgueria vegana no bairro Rio Tavares, onde residem: o Sabiá Burguer. Em pouco mais de um mês, o resultado tem surpreendido os jovens. “Apesar de novo, o comércio já é um sucesso. Vendemos cerca de 30 lanches por dia”, conta Ivan, que é cozinheiro.

Do pão ao queijo, tudo é produzido de forma artesanal, e as entregas são feitas de bicicleta, no Campeche, Rio Tavares, Canto da Lagoa e Lagoa da Conceição. O lanche conta apenas com produtos orgânicos.
Com opções que vão de lentilha, saladas, grão de bico, molhos de berinjela a maionese caseira vegana, o público conta com um cardápio variado, e a média de preços fica em torno de R$ 13, similar a um lanche comum. “A nossa ideia é oferecer um lanche saboroso, que preza pela qualidade. Então é slow food, e não fast food”, brinca Ivan, sobre a forma que são feitas as entregas.

E não são apenas os veganos que procuram os lanches do Sabiá Burguer. De acordo com Ingryd e Ivan, 30% do público não são veganos, e muitos procuram o lanche por questão de saúde, e curiosidade.

ESTILOS DE VIDA


Vegetariano
Vegetarianismo é o regime alimentar segundo o qual nada que implique em sacrifício de vidas animais deva servir à alimentação. Assim, os vegetarianos não comem carne e seus derivados, mas podem incluir em seu regime, leite, lacticínios e ovos.

Tipos de vegetarianismo
* Ovolactovegetariano: consome ovos, leite e laticínios.
* Lactovegetariano: consome ovos, mas faz uso de leite e laticínios.
* Vegano: vegetariano estrito, que recusa o uso de componentes animais não alimentícios, como vestimentas de couro, lã, seda e produtos testados em animais.
* Crudivorista: vegetariano estrito, que utiliza alimentos crus ou aquecidos a, no máximo, 42 graus. A utilização de alimentos em processo de germinação, como cereais integrais, leguminosas e oleaginosas, é comum nessa dieta.
* Frugivorista: vegetariano estrito, que utiliza apenas frutos na sua alimentação. Neste caso, o conceito de frutos segue a definição botânica, que inclui os cereais, alguns legumes (abobrinha, berinjela), oleaginosas e as frutas.
* Semi-vegetariano: faz uso de carnes, geralmente brancas, em menos de três refeições por semana. Alguns consideram semi-vegetariano o indivíduo que come carne branca apenas uma vez por semana.

VeganoVeganismo é uma opção de vida de pessoas que por razões éticas (relacionadas ao respeito aos direitos animais) prescindem do uso de qualquer produto de origem animal.

O que um vegano não faz
* Não come nenhum produto de origem animal (frango, peixe, leite, ovos, gelatina…)
* Não usa roupas feitas com couro, peles, lã, seda…
* Busca boicotar empresas que façam testes com animais.
* Não vai a circos, zoológicos, touradas, rodeios ou qualquer forma de entretenimento que utilize animais.
* Não compra animais de estimação, afinal, amigos não se compram.

Notícias do Dia

Colgate tem substância cancerígena!

O creme dental que você coloca na boca algumas vezes ao dia pode estar ligado ao crescimento de células cancerígenas, segundo matéria publicada pela "Bloomberg News". Apesar de aprovado há mais de uma década pela FDA, agência que regulamenta alimentos e medicamentos nos EUA, o ingrediente triclosan, encontrado na Colgate Total, tem sido associado ao crescimento do câncer em animais, diz a empresa de comunicação. A fabricante refuta os argumentos da reportagem.

A fabricante afirma que o produto é seguro, tendo sido aprovado por rigorosos testes. Além disso, segundo a empresa, os resultados obtidos pela pesquisa não são relevantes. A Colgate informou também que a eficácia e a segurança do produto são apoiadas por mais de 80 estudos clínicos envolvendo 19 mil pessoas. Segundo o porta-voz da Colgate, Thomas DiPiazza, a empresa também apresenta relatórios anuais ao FDA, revisando novas descobertas da ciência e de segurança.

Segundo a reportagem, os reguladores de medicamentos estão atualmente revisando os perigos de triclosan, um produto químico doméstico comumente usado, que ajuda a reduzir a contaminação de bactérias. De acordo com o FDA, o triclosan é encontrado em antibacterianos como sabão para as mãos, utensílios de cozinha e brinquedos para crianças, bem como em um dos cremes dentais mais vendidos do país - Colgate Total. Mas as descobertas do processo de aprovação do FDA da Colgate Total em 1997 mostram que a pasta de dente pode não ser tão segura quanto a empresa diz.

A FDA não havia divulgado o resumo de 35 páginas de toxicologia da Colgate Total e triclosan até o início de 2014, após uma ação da Lei de Liberdade de Informação movida em 2013. Depois de alguma pressão da Bloomberg News, a FDA também publicou os resultados em seu site.

No relatório, o FDA foi cauteloso sobre determinadas características da Colgate, colocando em questão não só os perigos potenciais de triclosan, mas também que ela pode tratar gengivite - que o FDA aponta que não é auto-diagnosticável - e acabar com a placa dental.

Uma das maiores revelações, de acordo com a Bloomberg News, é o fato de que a Colgate não considerou relevantes os experimentos com triclosan feitos em animais, e afirmou que seu produto é seguro.

Segundo a FDA, não se sabe com certeza se o triclosan é perigoso para os seres humanos. Embora os testes em animais nem sempre levam aos mesmos efeitos em humanos, essas experiências com animais anteriores levaram a FDA a abrir-se mais pesquisas sobre triclosan.

Já cientistas dizem que não é incomum - ou errado - atentar para esses produtos químicos comuns, especialmente porque estamos expostos a milhares deles todos os dias.

- Criamos um sistema em que estamos testando esses produtos químicos na população humana. Amo a ideia de que eles são todos seguros - afirmou à Bloomberg News o professor da Universidade de Massachusetts, Thomas Zoeller. Ele complementou, no entanto, que quando temos estudos em animais que sugerem o contrário, estamos assumindo um risco grande.

OUTRAS EMPRESAS

Em maio, legisladores de Minnesota votaram para proibir o químico e um mês antes a Avon anunciou planos para eliminar progressivamente triclosan de seus produtos cosméticos e de cuidados pessoais. Embora a Avon tenha dito que a evidência científica "apoia o uso segura de triclosan", a empresa cedeu à pressão dos consumidores para soltar a substância química de seus produtos de consumo.

Em agosto de 2012, a Johnson & Johnson anunciou planos para remover uma série de substâncias química potencialmente prejudiciais, incluindo triclosan, a partir de sua linha de produtos de consumo de adultos até o final de 2015. A empresa já se comprometeu em novembro do ano passado a remover produtor químicos específicos de seus produtos para bebês, tais como o shampoo Johnson. 

quinta-feira, 24 de julho de 2014

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Falecimento de Tony Palmer

O falecimento do bispo Tony Palmer, uma figura muito influente nas recentes aproximações entre o mundo protestante e a Igreja Católica, na noite deste passado domingo, apanhou todos de surpresa.

Aqueles mais atentos aos últimos desenvolvimentos de âmbito profético, estão já na expetativa acerca de como se desenvolverão a partir de agora todos os esforços de união entre os cristãos, que Palmer tinha promovido, ou até mesmo saber como reagirá o Papa Francisco, seu amigo pessoal.