quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Cevada, um alimento essencial


Nome: Em português: cevada. Em inglês: barley plant. Os franceses a conhecem como orge, e os italianos como orzo. Nos paises que falam espanhol, ela é chamada como cebada. O nome cientifico é Hordeum Vulgare, que em grego quer dizer gramínea comum.

Origem: Se hoje a cevada é conhecida pela maioria apenas como ingrediente principal da fabricação da cerveja, para os povos antigos ela tinha grande importância.
Monumentos e inscrições encontrados em sítios arqueológicos no Egito, retratam a cevada como um alimento de grande importância. Os sumérios, usavam grãos de cevada como unidade de medida e moeda de troca. Na Babilônia, 1.750 A.C., o cereal também funcionava como dinheiro, Foram os gregos e romanos que aprenderam a transformar cevada em pão e cerveja.
Ela foi levada à Europa e Estados Unidos por peregrinos comerciantes do séculos 16 e 17. Não se sabe quando chegou à China e Japão, mas o fato é que nesses paises passou a ser ingrediente fundamental da dieta dos monges budistas, que tem o tsampa (espécie de mingua de cevada) como principal fonte de energia. Atualmente, a cevada é o quinto cereal mais produzido no mundo, usada na fabricação de cerveja e ração animal. No Brasil, ela é cultivada principalmente em Estados da região Sul e Sudeste.

Curiosidades: A cerveja não é a única bebida feita a partir de grãos de cevada. Em alguns lugares do mundo, como no Norte de Portugal e em toda a Itália o “café” (por assim dizer devido a semelhança na cor e até mesmo no gosto porém mais suave e não contém cafeína) de cevada é um substituto muito popular do tradicional café. No Brasil, encontra-se pó de cevada solúvel e até mesmo não refinado, tendo seu preparo como um café normal, no coador. O “café” de cevada é mais saudável do que o tradicional por não conter cafeína e ainda oferecer todas as propriedades nutricionais e medicinais que o cereal contém.

Propriedades Medicinais: Artigos publicados por pesquisadores da Universidade Federal de Santa Catarina reforçam a tese de que os cereais e fibras integrais ajudam a combater o câncer de cólon. Heloísa Guarita, colaboradora do site RG Nutri, confirma a informação: “A ingestão de cereais como a cevada é importante para o bom funcionamento do intestino, aumenta o bolo fecal e facilita o transito intestinal. Isso tudo ajuda a prevenir o câncer de cólon.”
Camila Latorre, nutricionista, explica mais detalhadamente o processo: “Nos intestinos humanos residem bactérias que alimentam de celulose (fibras não digeríveis pelas enzimas humanas) e como reação produzem substancias protetoras contra o câncer da parede intestinal.” A presença dos minerais, magnésio e selênio torna a cevada um alimento indispensável para quem quer manter o sistema imunológico saudável. Heloisa explica: “O magnésio é um mineral utilizado na formação dos ossos e na liberação de energia dos músculos, e o selênio é um antioxidante que ajuda a proteger as células e o organismo todo.
Camila ainda acredita que a ingestão de cevada pode ser aliada no combate a outras doenças: “A cevada é útil não só no combate ao câncer, bem como é indicada para o tratamento de doenças pulmonares, desmineralizações, diarréias, infecções dos intestinos e em estados febris. É também ótima fonte de energia para pessoas em convalescença e idosos.

Propriedades Nutricionais: A cevada é um cereal rico em carboidratos, fibras, vitaminas do complexo B e nos minerais selênio e magnésio. Em 100g de grãos de cevada, encontra-se cerca de 73g de carboidratos, 12g de proteínas, 37,7mg de selênio e 1,94mg de magnésio.
Pro causa da grande quantidade de fibras, a cevada é considerada um alimento funcional. A nutricionista Heloísa Guarita explica: “Pelo teor de fibras, os integrais são incluídos na categoria dos alimentos funcionais, pois sua utilização dentro de uma dieta equilibrada pode ajudar no funcionamento do intestino, redução do colesterol e do risco de algumas patologias.” A ingestão de fibras também é recomendada para quem quer perder peso. “O alto teor de ingestão de fibras promove melhor aproveitamento dos nutrientes ingeridos e dá sensação de saciedade, o que reduz a fome”, esclarece Heloísa.
A nutricionista ainda explica que a cevada tem grande importância para quem segue uma direta vegetariana ou vegana, pois ela é grande fonte de energia ao lado de outros alimentos ricos em carboidratos e como arroz e macarrão integral, batata, mandioca, trigo e aveia.
Heloísa afirma que as Diretrizes Dietéticas dos EUA recomendam a ingestão de três porções diárias de cereais ricos em fibras, e que metade delas seja cereais integrais. A nutricionista ensina qual é a melhor maneira de consumir cevara: “Seu modo de preparo é similar ao do arroz. Pode ainda ser misturada a ele. Muito apreciada em saladas com legumes e verduras, risotos e também em sopas.”.


Revista dos Vegetarianos Edição nº 14

Um comentário: