terça-feira, 31 de março de 2009

O Cristão e a Psicologia

Leis da Mente, Ordenadas por Deus

Aquele que criou a mente e estabeleceu suas leis, providenciou para o seu desenvolvimento de acordo com aquelas leis. (Educação, pág. 41)

Verdadeiros Princípios de Psicologia nas Escrituras

Os verdadeiros princípios de psicologia encontram-se nas Escrituras Sagradas. O homem não reconhece seu próprio valor. Ele age de acordo com o seu inconfesso temperamento do caráter porque não olha para Jesus, Autor e Consumador de sua fé. Aquele que vai ter com Jesus, aquele que nEle crê e faz dEle seu exemplo, compreende o sentido das palavras: "A todos quantos O receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus." João 1:12. ...

Os que experimentam a verdadeira conversão hão de reconhecer, com aguda percepção, a sua responsabilidade para com Deus, de operar sua salvação com temor e tremor - sua responsabilidade de tornar completo seu restabelecimento da lepra do pecado. Semelhante realização os levará a, humilde e confiantemente, pôr sua confiança em Deus. (Manuscrito 121, 1902)

A Mente Dedicada a Deus Desenvolve-se Harmoniosamente

Deus toma os homens tais quais são e educa-os para o Seu serviço, se eles se entregarem a Ele. O Espírito de Deus, recebido na alma, aviva todas as suas faculdades. Sob a guia do Espírito Santo, a mente que sem reserva se dedica a Deus, desenvolve-se harmoniosamente, e é fortalecida para compreender e cumprir as reivindicações de Deus. O caráter fraco, vacilante, transforma-se em outro, forte e inabalável. A dedicação contínua estabelece tão íntimo relacionamento entre Jesus e Seus discípulos, que o cristão assimila o caráter de seu Senhor. Tem visão mais clara, mais ampla. Seu discernimento é mais agudo, seu julgamento mais equilibrado. Tão avivado é ele pelo poder vitalizante do Sol da justiça, que é habilitado a produzir muito fruto para glória de Deus. (Obreiros Evangélicos, págs. 285 e 286)

A Ciência de uma Vida Cristã Pura

A ciência de uma vida cristã pura, sadia e coerente é obtida pelo estudo da Palavra do Senhor. Essa é a mais elevada educação que qualquer ser terrestre pode obter. Essas são as lições que devem ser ensinadas aos estudantes de nossas escolas, para que saiam com pensamentos puros, e mente e coração limpos, preparados para escalar a escada do progresso e praticar as virtudes cristãs. Por esse motivo é que desejamos que nossas escolas estejam ligadas aos nossos hospitais, e estes às nossas escolas. Essas instituições devem ser conduzidas segundo a simplicidade do evangelho, dada no Antigo e no Novo Testamentos. (Manuscrito 86, 1905)

Circundado por Atmosfera de Paz

Todos quantos se acham sob as instruções de Deus precisam da hora tranqüila para comunhão com o próprio coração, com a natureza e com Deus. ... Devemos, individualmente, ouvi-Lo falar ao coração. Quando todas as outras vozes silenciam e, em sossego, esperamos diante dEle, o silêncio da alma torna mais distinta a voz de Deus. Ele nos manda: "Aquietai-vos e sabei que Eu sou Deus." Sal. 46:10. ... Entre o vaivém da multidão e a tensão das intensas atividades da vida, aquele que é assim refrigerado será circundado de uma atmosfera de luz e de paz. Receberá nova dotação de resistência física e mental. Sua vida exalará uma fragrância e revelará um poder divino que tocarão o coração dos homens. (A Ciência do Bom Viver, pág. 58)

A Religião de Cristo é um Remédio Eficaz

Satanás é o originador da doença; e o médico luta contra sua obra e poder. Prevalece por toda parte a enfermidade mental. ... Os incrédulos têm-se aproveitado ao máximo desses casos infelizes [nos quais dificuldades domésticas, remorsos de pecados, temor de um inferno a queimar eternamente têm desequilibrado a mente], atribuindo a insanidade à religião; isto, porém, é uma grosseira difamação, que não terão prazer em defrontar, finalmente. A religião de Cristo, longe de ser causa de insanidade, é um de seus mais eficazes remédios, pois é um poderoso calmante dos nervos. (Testimonies, vol. 5, pág. 444)

Fonte:CENPS

Condutas nutricionais para hipertensão e diabetes

A hipertensão arterial ou “pressão alta” é a elevação da pressão arterial para números acima dos valores considerados normais (140/90mHg). Tais valores são individuais e, por isto, somente o médico pode dar o diagnóstico.

Muitas pessoas nem sabem que tem pressão alta, o que é um grande perigo. O organismo acostuma-se com os níveis elevados de pressão, que, vão comprometendo em silêncio, órgãos como o coração, rins, cérebro e olhos.

De acordo com os estudos, a hipertensão pode estar associada com a obesidade em aproximadamente 65% das mulheres e 78% dos homens.

Além de fatores como raça, idade, sexo e hereditariedade, o excesso de gordura localizada na região abdominal, estresse, alimentação inadequada (excesso de sal principalmente), sedentarismo, fumo, também são fatores que contribuem com a elevação da pressão arterial.

O diabetes é uma disfunção em que o sangue apresenta glicose em excesso seja por que falta do hotmônio insulina ou pela dificuldade da açõa do mesmo.

O hipertenso e o diabético, assim como toda pessoa sadia, deve ter uma alimentação adequada e equilibrada, fornecendo todos os nutrientes para um bom funcionamento do organismo e com isso a redução da pressão arterial e da glicose sanguínea, respectivamente.

Dicas para hipertensos e diabéticos terem uma alimentação adequada:

1) Controlar ou manter o peso corporal em níveis adequados;

2) Frutas com menor índice glicêmico como a maçã e a pêra, de preferência com casca, são importantes para o diabético;

3) O uso de adoçantes naturais como estévia é indicado ao diabético. No caso do hipertenso, deve-se evitar os adoçantes com ciclamato e sacarina sódica;

4) A aveia é um alimento indicado ao diabético, desde que consumida com moderação;

5) Fracionar as refeições é um cuidado para ser tomado por todos, mas, principalmente pelo diabético. O nutricionista poderá orientá-lo sobre isto;

6) Reduzir a quantidade de sal. Retirar o saleiro da mesa e aproveitar o sabor natural dos alimentos;

7) Evitar embutidos, conservas, enlatados, defumados;

8) Evitar o consumo de bebida alcoólica;

9) Não usar açúcar (em caso de diabéticos);

10) Optar por carboidratos integrais (arroz, macarrão, pão);

11) Dar preferência a alimentos assados, grelhados ou assados, evitando a fritura;

12) Ler sempre o rótulo dos alimentos industrializados evitando sódio e cloreto de sódio.

13) Utilizar ricos em potássio, por serem natriuréticos como: inhame, feijão preto, abóbora, cenoura,mamão, espinafre, maracujá, laranja;

14) Incluir também alimentos rico em magnésio por serem vasodilatadores como amêndoas, pão integral, nozes, couve, gérmen de trigo;

15) Evitar bebidas estimulantes como chá-preto, refrigerantes a base de cola, capuccino, café, chá mate;

16) Comer em horários regulares e beber muita água, mas nunca durante as refeições, esperando pelo menos 30 minutos depois ou tomando 30 minutos antes;

17) Fazer uso de temperos naturais para tornar os alimentos mais saborosos: salsa, cebolinha, coentro, alecrim, sálvia, manjerição, louro;

18) Pessoas com hipertensão arterial, também podem ter uma boa alimentação, e uma vida normal. Não esquecendo que os medicamentos em vários casos são essenciais para manutenção da pressão em patamares normais. Por isto, o controle médico regular é fundamental;

As consultas regulares ao nutricionista são muito importantes, porque este profissional é capaz de determinar as quantidades exatas dos alimentos de cada grupo que cada individuo deve comer. O diabético e o hipertenso que seguem a dieta prescrita tem menor chance de apresentarem as complicações tardias.
Emanuelle Vieira graduanda em nutrição
Mariana Braga Nevesnutricionista.

sábado, 28 de março de 2009

O que aconteceria?

Acabou o primeiro trimestre da escola sabatina de 2009, tema: O Dom Profético. As lições, à cada dia que passa têm sido cada vez mais lições em minha vida. E quando sou professor da recapitulação sempre martelo a mesma coisa, que de nada vai valer o estudo dela se não fizermos jus ao seu nome, LIÇÃO! Se, de fato, não for uma lição em nossa vida, e não colocarmos em prática os conhecimentos adquiridos o que fazer na igreja durante a recapitulação da escola sabatina?...
Para dar um encerramento deixo uma pergunta que talvez muitos nunca fizeram:

O QUE SERIA DA IGREJA E DO MUNDO SEM O DOM PROFÉTICO NOS ÚLTIMOS DIAS DA HISTÓRIA DO MUNDO?

Não haveria igreja verdadeira, fundada só na Bíblia;

Todas as igrejas estariam fundamentadas em seres humanos;

Não se pregaria a segunda vinda de JESUS;

Todos os cristãos estariam santificando o domingo;

O sábado ficaria no esquecimento, pois Satanás trataria disso sem a menor
resistência;

Todos os cristãos creriam na imortalidade da alma, Satanás seria a última palavra a esse respeito;

Pode-se crer que os cristãos já estariam unidos pelo Ecumenismo, pois não haveria nenhuma forma de oposição;

É evidente que JESUS nunca voltaria, pois ninguém estaria cumprindo o que diz em Mateus 28:19 e 20;

Portanto, o mundo se exauriria em catástrofes naturais e sociais, numa comoção inimaginável, até que a civilização se extinguisse, e mesmo assim, todos crendo no evolucionismo;

10° Ou seja, o nome de DEUS já se teria banido das mentes dos seres humanos;

11° Porque Satanás teria ação sem restrições sobre a raça humana.

Com o dom profético, há um povo convicto da verdade, corajoso, cada vez mais cheio de poder, pregando sobre a cruz e a volta de JESUS ao mundo. Isso pode parecer loucura a muitos, mas pregamos, e assim cremos, e assim será. Todos verão o Redentor vindo nas nuvens, muitos nesse momento serão transformados, outros perecerão, mas todos terão tido a oportunidade da salvação. Pelo dom profético sabemos o que fazemos e temos a certeza de para onde vamos, e Quem está conosco.

Jean R. Habkost
Prof. Sikberto Marks

Medite!!!

Às margens dos rios da Babilônia, nós nos assentávamos e chorávamos, lembrando-nos de Sião.” (Salmo 137:1).

Um dia, os assírios dirigidos por Nabucodonosor chegaram a Jerusalém. Destruíram tudo e levaram prisioneiros os filhos de Israel.

Os anos do exílio foram tristes. Longe de casa, da família e dos amigos, os exilados só tinham duas opções: esquecer definitivamente Israel ou viver em Babilônia, com os olhos fixos em Sião, abrigando o sonho de retornar um dia para o lar.

Um dia, também, o inimigo de Deus chegou até a raça humana, destruiu seus sonhos, valores e princípios e a levou escrava ao seu reino, para servir no seu palácio.

A história de Israel é um símbolo da história humana. Como os israelitas, hoje estamos longe do verdadeiro lar. Este mundo cheio de tristeza e angústia – conseqüências naturais da entrada do pecado – não é a nossa casa. Somos estrangeiros e peregrinos vivendo num mundo ao qual Jesus Se referiu assim: “O Meu reino não é deste mundo.”

O salmista disse que enquanto os filhos de Israel viviam em Babilônia, com freqüência sentavam-se às margens dos rios e choravam de saudade, lembrando-se de Sião, o santo monte, símbolo do governo de Deus.

O perigo que corremos hoje é esquecer que este mundo não é o nosso lar definitivo. Estamos aqui apenas peregrinando, por força das circunstâncias, rumo à casa do Pai. Somos estrangeiros vivendo num país alheio.

O fato de vivermos neste mundo pode levar-nos a contemplar as coisas da Terra por mais tempo do que o necessário. Deitar raízes profundas é um risco. Lembrar quem somos e de onde viemos determina as nossas escolhas e prioridades.

É verdade que precisamos sobreviver. Trabalhar, estudar, construir uma casa para morar e educar os filhos é parte da nossa existência. Não podemos omitir-nos dessas responsabilidades. Mas até que ponto isso tudo está nos fazendo esquecer de Sião?

Cumpra as suas atividades hoje pensando na experiência de Israel, expressada pelo salmista: “Às margens dos rios da Babilônia, nós nos assentávamos e chorávamos, lembrando-nos de Sião.”

Alejandro Bullón

quinta-feira, 26 de março de 2009

Um deslumbre!

Um deslumbre do paraíso! Minha fascinação por animais está nos felinos. Um dia sei que farei o mesmo com os felinos na nova terra! Enquanto isso fico sonhando, e sonhando alto, brincando com o meu gato de apenas 30cm (rsrs)

terça-feira, 24 de março de 2009

Longevidade e Qualidade de Vida Adventista

Adventistas do Sétimo Dia (ASD) têm sido objeto de muitos estudos epidemiológicos. Os resultados dos mesmos sugerem fortemente que os ASD estão vivendo mais por seguirem certos princípios dietéticos herdados a partir de suas crenças religiosas, como vegetarianismo, ênfase no consumo de grãos integrais, frutas, hortaliças e abstinência de tabaco e álcool. Este artigo discute os resultados de um grande estudo epidemiológico conduzido com a população ASD californiana que evidencia as vantagens dos vegetarianos no alcance de maior longevidade e de menor risco de câncer e doença cardíaca quando comparados com californianos não-vegetarianos. Adventistas vegetarianos californianos tendem a ser menos obesos, bebem menos café, comem mais leguminosas e produtos à base de proteína vegetal. Além disso, exercitam-se com maior regularidade. Tanto a ausência de carne quanto a adição de frutas, castanhas e hortaliças parecem exercer uma grande influência na prevenção de câncer e doença cardíaca, bem como no aumento da longevidade.

Os ASD constituem um grupo religioso protestante que inclui cerca de 13 milhões de membros ao redor do mundo, com um total de 1.267.015 residentes no Brasil e 939.091 nos Estados Unidos da América (EUA), representando respectivamente o primeiro e segundo lugares na estatística da igreja (Seventh Day Adventist Church, 2005).

A experiência de saúde da população ASD tem sido estudada por pelo menos 51 anos. Existem mais de 300 artigos científicos abordando estudos sobre a saúde dos ASD publicados em periódicos científicos da Dinamarca, Holanda, Noruega, Japão, Austrália, além dos bem conhecidos estudos da Universidade de Loma Linda, Califórnia, EUA (Fraser, 2003a).

Evitar a carne e enfatizar o consumo de frutas, hortaliças e castanhas na dieta faz parte das crenças dos ASD, assim como a abstinência do uso de tabaco, álcool e a prática regular de atividades físicas. Para o propósito de investigações epidemiológicas, o uso ostensivo de tabaco, o consumo de álcool e de dietas com alto conteúdo de gordura pode confundir ou modificar os efeitos de outros fatores, dificultando o estudo. Na população Adventista, estas características consideradas fatores de confusão estão praticamente ausentes, facilitando a observação de outros fatores. Este aspecto aliado à ampla variedade de hábitos dietéticos que vão desde o vegetarianismo estrito até a dieta americana usual, tornam a população de ASD particularmente atraente para a investigação de doenças relacionadas aos hábitos alimentares.

Os resultados discutidos neste artigo foram tomados a partir do Primeiro Estudo Adventista de Saúde (Adventist Health Study-1, AHS-1). O AHS-1 (Beeson et al., 1989) constituiu uma investigação prospectiva que começou em 1974, projetada com o objetivo de verificar quais componentes do estilo de vida Adventista oferecem proteção contra doenças. Inicialmente o AHS-1 focalizou o câncer; em 1981, o componente cardiovascular foi adicionado.

Nutrição em Pauta

Nota: Ao ler esse artigo me sinto muito alegre por dois pontos:

O primeiro é o fato de termos essa direção divina sobre a saúde e conhecimento suficiente para obter uma ótima saúde, glorificando a Deus em nosso corpo que é templo do Espírito Santo.

O segundo ponto é que Deus me tem dado forças para que isso se torne cada vez mais real em minha vida, hoje sou Ovo (caseiro, tenho esse privilégio rsrs) Pisco Vegetariano.
Mas algo me deixa muito triste, que é ver a grande maioria dos ASD não atendendo aos conselhos contidos no espírito de profecia sobre saúde. Uma lástima pois: “No juízo veremos quão seriamente Deus considera a violação das leis da saúde." (Conselhos Sobre o Regime Alimentar pág. 40)


O que Ellen G. White diz sobre Música

1. O que diz EGW. Sobre a perversão e o emprego correto da música?

“A música, muitas vezes, é pervertida para servir a fins maus, e assim se torna uma dos poderes mais sedutores para a tentação. Corretamente empregada, porém, é um dom precioso de Deus, destinado a erguer os pensamentos a coisas altas e nobres, a inspirar e elevar a alma.”(Ed. p. 166)

2. Mencione 5 dos poderes que a música possui.

“Poder para: (1) subjugar as naturezas rudes e incultas; poder para (2) suscitar pensamentos e (3) despertar simpatia, para (4) promover a harmonia de ação e (5) banir a tristeza e os maus pensamentos, os quais destroem o ânimo e debilitam o esforço.”
(Ed. p. 167)

3. Que tipo de música deve ser cantado no lar?

“Que haja cântico no lar, de hinos que sejam suaves e puros, e haverá menos palavras de censura e mais de animação, esperança e alegria.”(Ed., p. 167)

4. Que relação existe entre o canto e a oração como partes do culto?

“Como parte do culto, o canto é um ato de adoração tanto quanto a oração.”
(Ed., p. 167)

5. Em que aspecto é a música o mais eficiente dos meios?

“O canto é um dos meios mais eficientes para impressionar o coração com verdades espirituais.”(R.H., 6 de Junho de 1912)

6. O que é capaz de fazer o cântico quando glorifica a Deus?

“Vi que o cântico que glorifica a Deus afasta, com frequência, o inimigo e que louvar o Senhor o derrotaria e nos daria a vitória.”(Carta 5, 1850)

7. Como Jesus usava a música?

(1) Para livrar-Se da tentação. (Ev. 498)
(2) Para saudar a luz matinal.
(3) Para alegrar Suas horas de labor.
(4) Para levar alegria celeste ao cansado e ao abatido. (CBV., p. 52)
(5) Para expressar o contentamento que Lhe ia no coração.
(6) Para Louvar e dar graças a Deus.
(7) Para manter comunhão com o Céu.
(8) Para animar os companheiros que se queixavam da fadiga do trabalho.
(9) Para banir os anjos maus.
“Dir-se-ia que Seu louvor bania os anjos maus e, como incenso, enchia de fragrância o lugar em que Se achava. O espírito dos ouvintes era afastado de seu terreno exílio, para o lar celestial.”(DTN., p. 73)

8. Porque que os Israelitas repetiam o cântico junto ao mar durante suas viagens?

Para animar os corações e acender a fé dos viajantes peregrinos.”Assim, elevavam-se seus pensamentos acima das provações e dificuldades do caminho; abrandava-se, acalmava-se aquele espírito inquieto e turbulento; implantavam-se os princípios da verdade na memória; e fortalecia-se a fé. A ação combinada ensinava ordem e unidade, e o povo era levado a um contato mais íntimo com Deus e com outros.”(Ed., p. 39)

9. Analise o contraste que há entre o antigo costume e os usos a que muitas vezes é a música hoje dedicada?

“Fazia-se com que a música servisse a um santo propósito, a fim de erguer os pensamentos àquilo que é puro, nobre e edificante, e despertar na alma devoção e gratidão para com Deus. Que contraste entre o antigo costume, e os usos a que muitas vezes é a música hoje dedicada! Quantos empregam esse dom para exaltar o”eu", em vez de usá-lo para glorificar a Deus!”(PP. 12ª ed., de 1991, p. 637)

10. O que leva os incautos a se unirem com os amantes do mundo?

“O amor pela música leva os incautos a unir-se com os amantes do mundo nas reuniões de diversões aonde Deus proibiu a seus filhos irem.”(Ibid.)

11. Para que Satanás emprega a música?

Para distrair a mente do dever e da contemplação das coisas eternas.”Assim aquilo que é uma grande bênção quando devidamente usado, torna-se um dos mais bem sucedidos fatores pelos quais Satanás distrai a mente, do dever e da contemplação das coisas eternas.”(Ibid.)

12. Qual deve ser nosso esforço no que diz respeito a nossos cânticos de louvor?

“... Devemos esforçar-nos, em nossos cânticos de louvor, por nos aproximar tanto quanto possível da harmonia dos coros celestiais.”(Ibid.)

13. O que ocorre quando cantamos com o espírito e a compreensão?

“Quando seres humanos cantam com o Espírito e a compreensão, músicos celestes apreendem os acordes e unem-se no cântico de louvor.”(Testimonies, Vol. 9, pp. 143.)

14. Com que intenção deve-se gastar tempo no cultivo da voz?

“Aquele que nos tem concedido todos os dons que nos capacitam a ser coobreiros com Deus, espera que Seus servos cultivem suas vozes, a fim de que possam falar e cantar de modo que todos compreendam. Não é necessário um cântico ruidoso, mas entoação clara, pronúncia correta e expressão vocal distinta. Que haja tempo para o cultivo da voz de modo que o louvor a Deus possa ser entoado em tons claros e suaves, não com aspereza e estridência que ofendem o ouvido.”(Ibid.)

15. Por que é difícil disciplinar os cantores e mantê-los em forma ordeira?

“Mas às vezes é mais difícil disciplinar os cantores e mantê-los em forma ordeira, do que desenvolver hábitos de oração e exortação. Muitos querem fazer as coisas à sua maneira. Não concordam com deliberações, e são impacientes sob a liderança de alguém. No serviço de Deus se requerem planos bem amadurecidos. O bom senso é coisa excelente no culto do Senhor.”(EV., p. 505)

16. O que não é música? Quais as duas características do bom cântico?

“Pensam alguns que, quanto mais alto cantarem, tanto mais música fazem; barulho, porém, não é música. O bom canto é como a melodia dos pássaros - dominado e melodioso.”(EV., p. 510)

17. Qual seria a característica de solos inadequados?

“Tenho ouvido em algumas de nossas igrejas solos que eram de todo inadequados ao culto da casa do Senhor. As notas longamente puxadas e os sons peculiares, comuns no canto de óperas, não agradam aos anjos.”(Ibid.)

18. Que tipo de cânticos os anjos unem-se a nós em cantar?

“Eles (os anjos - pois esta nota é continuação da anterior)se deleitam em ouvir os simples cantos de louvor entoados em tom natural. Os cânticos em que cada palavra é pronunciada claramente, em tom harmonioso, eis os que eles se unem a nós em cantar. Eles tomam o estribilho entoado de coração com o Espírito e o entendimento.”(EV., pp. 510 e 511)

19. Que tipo de cântico é preferível para os serviços de adoração a Deus?

O Canto congregacional.”Nem sempre poucos devem tomar parte no serviço de canto. Tanto quanto possível que toda a congregação se una em louvor.”(Testimonies, vol. 9, p. 144).”O canto não deve ser feito apenas por uns poucos. Todos os presentes devem ser estimulados a tomar parte no serviço de canto.”(EV., p. 507)

20. Que critérios devem ser usados na escolha do canto para o culto divino?`

(1) Devemos nos esforçar para aproximar-nos o mais possível da harmonia dos coros celestiais.
(2) Usar vozes educadas.
(3) Escolher hinos com música apropriada para a ocasião.
(4) Melodias alegres, mas solenes.
(5) Voz modulada, suavizada e dominada.

“A música forma uma parte do culto de Deus nas cortes do alto. Devemos esforçar-nos em nossos cânticos de louvor, por aproximar-nos o mais possível da harmonia dos coros celeste. Tenho ficado muitas vezes penalizada ao ouvir vozes não educadas, elevadas ao máximo diapasão, guinchando positivamente as palavras sagradas de algum hino de louvor. Quão impróprias essas vozes agudas, estridentes, para o solene e jubiloso culto de Deus! Desejo tapar os ouvidos, ou fugir do lugar, e regozijo-me ao findar o penoso exercício. Os que fazem do canto uma parte do culto divino, devem escolher hinos com musica apropriada para a ocasião, não notas de funeral, porém melodias alegres, e todavia solenes. A voz pode e deve ser modulada, suavizada e dominada.”
(EV., pp. 507 e 508)

21. Do que Deus não se agrada (Em termos de música)?

“Vi que todos devem cantar com o espírito e com o entendimento também. Deus não se agrada de algaravia e desarmonia (dissonância) . O correto é sempre mais grato que o errado.”(Testimonies, Vol. 1, p. 146 ; TS. Vol. 1, p. 45)

22. Quais os resultados quando o povo de Deus aproxima-se do canto correto, harmonioso?

Deus é glorificado, a igreja beneficiada e os incrédulos favoravelmente impressionados.
“E quanto mais perto o povo de Deus puder aproximar-se do canto correto, harmonioso, tanto mais é Ele glorificado, a igreja beneficiada, e os incrédulos favoravelmente impressionados.”(Ibid.)

23. Como eram as músicas executadas na reunião campal de Indiana em 1900 segundo relatado por Testemunhas oculares?

(1) Acompanhadas por instrumentos musicais tais como: órgão, contrabaixo, rabecas, flautas, tamborins, cornetas e um grande surdo.
(2) Muito altas a ponto de não se poder ouvir a voz da congregação ao cantarem.
(3) São musicas dançantes com letra sagrada.
(4) Não usavam o hinário que os Adventistas da época usavam.
(5) Eram ritmadas.

24. Como seriam as músicas imediatamente antes da terminação da Graça? Por que seria assim?

Com gritos, tambores e dança. Porque os sentidos dos seres racionais ficarão confundidos.
“As coisas que descrevestes como tendo lugar em Indiana o Senhor revelou-me que haviam de ter lugar imediatamente antes da terminação da graça. Demosntrar-se-á tudo quanto é estranho. Haverá gritos com tambores, música e dança. Os sentidos dos seres racionais ficarão tão confundidos que não se pode confiar neles quanto a decisões retas.”
(ME. Vol. 2, p. 36)

25. A quem haveriam de atribuir o tipo de música que ocorria antes da terminação da Graça?

“E isto será chamado operação do Espírito Santo.”(Ibid.)

26. Por que métodos o Espírito Santo nunca se revela?

“O Espírito Santo nunca se revela por tais métodos, em tal balbúrdia de ruído.”
(Ibid.)

27. Com que intenção Satanás criaria tal tipo de música?

“Isto é uma invenção de Satanás para encobrir seus engenhosos métodos para anular o efeito da pura, sincera, elevadora, enobrecedora e santificante verdade para este tempo.”
(Ibid.)

28. O que seria melhor do que usar o tipo de música usada na campal de 1900?

“É melhor nunca ter o culto do Senhor misturado com música do que usar instrumentos músicos para fazer a obra que, foi-me apresentado em Janeiro último, seria introduzida em nossas reuniões campais. A verdade para este tempo não necessita nada dessa espécie em sua obra de converter almas. Uma balbúrdia de barulho choca os sentidos e perverte aquilo que, se devidamente dirigido, seria uma bênção.”(Ibid.)

29. O que Satanás fará da música?

“Essas coisas que aconteceram no passado hão de acorrer no futuro. Satanás fará da música um laço pela maneira por que é dirigia.”(ME. Vol. 2. p. 38)

30. Como não sermos enganados pelos ardis de Satanás?

Lendo, estudando e dando ouvidos à Palavra de Deus e aos Testemunhos do Espírito de Profecia.
“Deus convida Seu povo, que tem a luz diante de si na Palavra e nos Testemunhos, a ler e considerar, e dar ouvidos. Instruções claras e definidas tem sido dadas a fim de todos entenderem.”(Ibid.)

31. Que tipo de música não se ouviam nas Escolas dos Profetas?

Valsas frívolas ou canções petulantes.
“A arte da melodia sagrada era diligentemente cultivada. (na Escola dos Profetas) Não se ouviam valsas frívolas ou canções petulantes que elogiassem o homem e desviassem de Deus a atenção; ouviam-se, porém, sagrados e solenes salmos de louvor ao Criador, que engrandeciam Seu nome e relatavam Suas obras maravilhosas.”(FEC.p. 97)

32. Que tipo de música, e o que havia na espécie de social descrita em CPPE. na p. 306?

“Tem havido em____________uma espécie de reuniões sociais inteiramente diversas em seu caráter, reuniões de prazer, que tem sido um opróbrio às nossas instituições e à igreja. Essas reuniões estimulam o orgulho do vestuário, orgulho da aparência, a satisfação do próprio eu, a hilaridade e frivolidade. Satanás é recebido como hóspede de honra e toma posse dos que promovem essas reuniões.
A visão de que um desses grupos me foi apresentada - grupo em que se achavam reunidas pessoas que professavam crer na verdade. Uma delas achava-se a um instrumento de música, e cantava canções que faziam chorar os anjos da guarda; Havia ruidosa alegria, havia riso vulgar, abundância de entusiasmo e uma espécie de inspiração; mas a alegria era daquela espécie que unicamente Satanás é capaz de produzir.”(CPPE. p. 306)

33. Que tipo de música se adequam ao gosto dos jovens?

“Foi-me mostrado que a juventude deve assumir um padrão elevado e fazer da Palavra de Deus seu conselheiro e sua guia. Solenes responsabilidades repousam sobre os jovens, às quais consideram levianamente. A apresentação de música em seus lares em vez de conduzir à santidade e espiritualidade tem sido um meio para afastar as mentes da verdade. Canções frívolas e música popular do dia parecem adequadas ao seu gosto. Os instrumentos de música tem tomado o tempo que deveria ser devotado à oração.”
(Testimonies, vol. 1, pp. 496 e 497)

34. Descreva a atitude dos anjos diante de um grupo de cristãos que cantam músicas e canções frívolas?

“As coisas eternas tem pouco peso para a juventude. Anjos de Deus choram quando registram palavras e atos de professos cristãos. Adejam anjos em torno de uma habitação além. Jovens estão ali reunidos; ouvem-se sons de música em canto e instrumentos. Cristãos acham-se reunidos nessa casa; mas que é que ouvis? Um cântico, uma frívola canção, própria para um salão de baile. Vede, os puros anjos recolhem para si a luz, e os que se acham naquela habitação são envolvidos pelas trevas. Os anjos afastam-se da cena. Tem a tristeza no semblante. Vede como choram! Isto vi eu repetidas vezes pelas fileiras dos observadores do sábado, e especialmente em _____________.”
(Testimonies vol. 1, p. 506)

35. O que é música para muitos professos observadores do sábado?

“A música é o ídolo adorado por muitos professos cristãos observadores do Sábado. Satanás não faz objeções à música, uma vez que a possa tornar um caminho de acesso à mente dos jovens.”(Ibid.)

36. Que tipo de música não se harmoniza com o gosto de jovens cristãos professos?

“Jovens reúnem-se para cantar e, se bem que cristãos professos, desonram freqüentemente a Deus e sua fé por frívolas conversas e a escolha que fazem da música. A música sagrada não está em harmonia com seus gostos. Minha atenção foi dirigida aos positivos ensinos da Palavra de Deus, que haviam sido passados por alto. No juízo todas essas palavras da Inspiração hão de condenar os que não lhes deram ouvidos.”(Ibid.)

37. O que produz as diversões teatrais?

“Entre os mais perigosos lugares de diversões, acha-se o teatro. Em vez de ser uma escola de moralidade e virtude, como muitas vezes se pretende, é um verdadeiro foco de imoralidade. Hábitos viciosos e propensões pecaminosas são fortalecidos e confirmados por esses entretenimentos. Canções baixas, expressões e atitudes licenciosos depravam a imaginação e rebaixam a moralidade. Todo jovem que costuma assistir a essa exibições se corromperá em seus princípios. Não há em nosso país influência mais poderosa para envenenar a imaginação, destruir as impressões religiosas e tirar o gosto pelos prazeres tranqüilos e as realidades sóbrias da vida, que as diversões teatrais. O amor a essas cenas aumenta a cada condescendência, assim como o desejo de bebidas intoxicantes se fortalece com seu uso.”(CPPE., p. 302)

38. Como Balaão conseguiu trazer o desagrado de Deus sobre os Israelitas?

“...Aconselhou Balaque a proclamar uma festa idólatra em honra a seus deuses, e persuadiria os israelitas a assistirem-na de modo que se deleitassem com a música, e então, as mais belas mulheres midianitas seduziriam os israelitas levando-os a transgredir a lei de Deus e a se corromperem e também influenciariam a sacrificar aos ídolos. Este conselho satânico foi muito bem sucedido.”(Espiritual Gifts, vol. 4, p. 49)
“Iludidos pela música e dança, e seduzidos pela beleza das vestais gentílicas, romperam sua fidelidade com Jeová.”(PP., p. 479)

39. EGW. Fala de música secular aceitável cantada pelos músicos do navio onde se encontrava. Que características possuíam?

“Por cerca de uma hora a neblina não se dissipava e o sol não conseguia penetrá-la. Os músicos (no navio), que deviam desembarcar naquele local, entretinham os impacientes passageiros com música bem apresentada e bem selecionada. Ela não feria os sentidos como na noite anterior, mas era suave e realmente gratificante aos sentidos porque era harmoniosa.”(Carta 6b, pp. 2 e 3 . Escrita ao desembarcar na Nova Zelândia em Fevereiro de 1893)

40. A formação musical do irmão ”S” se adequava mais a quê?

“O irmão S possui bom conhecimento musical, mas sua formação em música foi do tipo a adequar-se mais ao palco do que ao solene culto de Deus.”(Manuscrito 5, 1874)

41. Qual a opinião de EGW, sobre os movimentos corporais na música para o serviço religioso?

“Movimentos corporais são de pouco proveito. Tudo o que está ligado, de alguma forma, com o serviço religioso deve ser digno, solene e impressivo....Pode-se dizer o mesmo do canto. Assumis atitudes não dignas. Pondes todo o volume e potência de voz que podeis. Abafais os acordes mais suaves e as notas de vozes mais harmoniosas que a vossa. Esse movimento corporal e a voz alta e estridente não faz harmonia àquele que ouvem na terra e aos que ouvem no Céu.”(Ibid.)

42. Do que Deus não se agrada em Ministros que professam ser representantes de culto? Por quê?

“Deus não se agrada quando ministros que professam ser representantes de Cristo, representam-No tão mal como se fossem arremessar o corpo em atitudes de representação, gesticulando de modo indigno e vulgar, apresentando movimentos grosseiros e reles. Tudo isso diverte e despertará a curiosidade daqueles que desejam ver coisas estranhas, empolgantes e bizarras, mas não elevará a mente e o coração daqueles que as testemunham.”(Ibid.)

43. O que não apresenta o coro dos anjos? Por quê?

“O coro dos anjos não apresenta notas estridentes e gesticulações. Seu canto não irrita o ouvido. É suave e melodioso e flui sem o esforço que eu tenho presenciado. Não é forçado e estridente exigindo exercícios físicos.”(Ibid.)

44. Quando há movimentos grosseiros durante o canto o que ocorre com alguns?

“Alguns não conseguem reprimir pensamentos não sagrados e sentimentos de leviandade ao ver os movimentos grosseiros durante o canto.”(Ibid.)

45. A exibição e contorções do corpo, a aparência desagradável da melodia forçada pareciam tão fora de lugar para onde? O que produziam?

“A exibição e contorções do corpo, a aparência desagradável da melodia forçada pareciam tão fora de lugar para a casa de Deus, tão cômicas, que as solenes impressões produzidas nas mentes foram removidas. Os pensamentos daqueles que crêem na verdade não permanecem tão elevados como antes do canto.”(Ibid.)


46. Por que foi muito difícil tratar com o irmão”S”?

“Tem sido muito difícil lidar com o caso do irmão S.. Ele tem se portado como uma criança indisciplinada e deseducada. Quando seus atos são questionados, em vez de tomar a reprovação como uma bênção, ele deixa que seus sentimentos o julguem melhor, torna-se desencorajado e não faz nada. Se ele não puder fazer tudo como quiser, do seu modo, não ajudará de modo nenhum.”(Ibid.)

47. Qual a origem da música?

“A música é de origem celeste. Há grande poder nela.”(Ibid.)

48. É suficiente conhecer os rudimentos do canto? Por quê?

“Não é suficiente conhecer os rudimentos do canto; porém, aliado ao conhecimento, deve haver tal ligação com o Céu que anjos possam cantar através de nós.”(Ibid.)

49. O irmão ”S” cantava na igreja mas seu canto em realidade era oferecido a quem?

“Tendes cantado mais para os homens do que para Deus.”(Ibid.)

50. Qual era o árduo trabalho do irmão”S”?

“Tem sido um árduo trabalho para vós superar vossos hábitos naturais e viver uma vida santa e abnegada.”(Ibid.)

Voltei!

Olá, queridos irmãos!

Ainda estou, digamos em semi-recuperação (rsrs).


Agradeço desde já as orações que foram feitas por mim. Tudo ocorreu bem até então, apenas um ponto inflamado mas tudo sobre controle, aparentemente (rsrs).


Quero vos dizer que o livro do qual me referi semana passada,“Música - Sua Influencia na Vida do Cristão”, já o li por duas vezes e logo estarei postando algumas pérolas que pude encontrar nele. Uma leitora do Blog, Fabrícia Sebastião Cardoso, relatou o fato da leitura do livro ser feita com a questão contextual dos fatos expostos nele. Mas alegro-me em dizer que os fatos que devem ser analisados com o contexto histórico são poucos e eles mesmo relatam o acontecimento histórico contextual. Os demais conselhos encontrados no livro são diretamente indicados para toda igreja em todos os dias do tempo do fim.
Devido a minha falta de acesso à internet, e a um computador pessoal ainda não poderei postar as pérolas encontradas nele, mas não faltarei com elas. Enquanto isso, fiquem com outros versos sobre a música que Ellen G. White escreveu.


Jean R. Habkost.

domingo, 15 de março de 2009

Queridos Leitores

Queridos leitores, quero lhes avisar que nesta segunda feira, 16 de março, estarei me deslocando até Florianópolis para fazer uma cirurgia. Segundo os médicos, é simples e sem muito risco, porém vou ter que ficar em repouso. Agradecerei se orarem por mim. Mas o que mais me preocupa e quero ressaltar é que ficarei sem postar nada durante essa semana, devido ao repouso que provavelmente farei durante toda semana.

Agradeço o acompanhamento e compreensão de todos, meus queridos irmãos e um forte abraço.

Jean R. Habkost

Leiam também!

Estamos vivendo literalmente nos últimos dias desse mundo. O mundo já está preparado para receber o anti-cristo. Falta então só um lugar para ser preparado pelo inimigo: a igreja verdadeira.

O início do grande conflito foi pela disputa da adoração. Ainda hoje é a mesma disputa. Satanás vem induzindo muitos ao “complexo de Caim”, onde por melhor que seja a intenção de adoração a Deus, SE NÃO FOR A VONTADE DE DEUS, DE NADA VALE.

Nisto Satanás vem se esforçando para deturpar a adoração musical dirigida a Deus. Pensando nisto e vivenciando grandes acontecimentos dentro da igreja, que demonstram mais ainda que a SACUDIDURA JÁ COMEÇOU, comecei a ler hoje mais um material ótimo sobre música, o livro “Música - Sua Influencia na Vida do Cristão”. Simples e humilde como Cristo, mas repleto de verdades de suma importância.

Esse é apenas um dos vários materiais ótimos de estudo sobre o assunto que podemos consultar.

LEIAM TAMBÉM!

Jean R. Habkost

Perdão!

Perdoar é um ato de extrema bravura. São poucos os indivíduos dotados de coragem suficiente para mergulhar fundo dentro do próprio ser e aniquilar as mágoas adquiridas ao longo dos anos para, assim, reencontrar o radiante e lapidado sentimento de respeito ao próximo.

Capaz de grandes transformações, o perdão traz consigo uma nova vida. É como se algo nefasto fosse arrancado do âmago do ser, dando lugar a um novo sentimento repleto de energia. Um sentimento carregado com o mais puro amor.

Por menor e mais insignificante que seja a mágoa, ela irá consumir a saúde de forma silenciosa e muito discreta. Por isso, ter uma boa alimentação associada a práticas saudáveis não é suficiente para a saúde integral do ser. A verdadeira saúde vai muito além do corpo e suas interações físicas. Para acabar com toda a mágoa que existe nas profundezas do ser e alcançar a saúde integral, o melhor remédio é o perdão.

Quem sabe, neste ano que se inicia, o ser humano não busque a coragem que está faltando para mergulhar profundamente dentro do seu ser e aniquilar suas mágoas com o poder do perdão. Com essa elevada atitude, não só o próprio ser humano sairá beneficiado, como eu, você, nossos companheiros animais e todo o universo conectado.

Marco Clivati
Editor da Revista dos Vegetarianos

Nota: Pessoas sinceras, nem tão pouco vivem um cristianismo talvez, e mesmo assim dão e vivem um exemplo de vida, além de muitos que se dizem ser Cristãos. Pense nisto!

quinta-feira, 12 de março de 2009

O poder da oração intercessória

O carro verde estaciona no shopping. Dentro dele está um casal de meia-idade com a mulher ao volante. Assim que estacionam, o marido diz:

- Mary, você terá que girar a chave para que eu possa subir o vidro elétrico.

- Jim, você é um imbecil! Eu já lhe disse cem vezes para subir os vidros enquanto o motor ainda está funcionando. Será que você nunca vai aprender?

O homem abre a boca e um vendaval de palavras jorra para fora, uma mistura de sacro com profano de tal nível que a mulher não poderia deixar de entender que as suas palavras haviam tocado num ponto sensível. Ficando mais e mais irado, ele a acusa de estragar o que estava sendo um dia perfeito, por não conseguir ficar com a boca calada.

Próximo o suficiente para ouvir toda a conversa, Roger Morneau pensa: "Que homem perverso!" E imediatamente ora: "Jesus, por favor, perdoa-os. Pelo grandioso poder do Teu Santo Espírito, por favor, repreende as forças demoníacas que estão oprimindo a mente deles, e abençoa a vida deles com a doce paz do Teu amor."

Naquele instante, a tempestade verbal cessa. Por uns 20 segundos ambos permanecem calados, e em seguida o homem quebra o silêncio:

- Mary, estou arrependido por ter ficado tão irado. Realmente me sinto mal agora por lhe ter falado daquela maneira. Não sei por que fico tão nervoso às vezes. Consigo até sentir a raiva crescer dentro de mim para com as pessoas que eu tanto amo. Por favor, perdoe-me, e eu prometo me esforçar realmente para não repetir essas explosões.

Morneau diz que foi lindo ouvir a mulher admitir que ela era, pelo menos parcialmente, culpada por não tomar cuidado com as palavras, e que às vezes até sentia prazer em atacá-lo verbalmente.

Prometendo ser mais delicada no futuro, ela dá um beijinho no marido, sobe o vidro e os dois saem do carro para fazer compras.

Quando o esposo vai pagar pelo estacionamento, olha para suas moedas e, vendo que não tem o dinheiro suficiente, vira-se para a esposa e diz:

- Amorzinho, por gentileza, veja na sua bolsa se você tem mais umas moedas.

- Como eu poderia deixar de ajudá-lo quando você está me tratando como se trata uma dama? Jim, você já percebeu que não me chama de amorzinho desde que as crianças ainda eram pequenas?

Depois de fazer o pagamento, ela o toma pelo braço e, como recém-casados, entram na loja.

Passe de mágica? Conto de fadas? Para o canadense Roger Morneau, não. Na verdade, este é apenas um dentre muitos relatos reais descritos em seu livro "Respostas Incríveis à Oração", da Casa Publicadora Brasileira.

Depois de sua conversão do satanismo ao cristianismo, espetacularmente relatada em outro livro, "Viagem ao Sobrenatural", também publicado pela Casa, Morneau manteve por seis décadas um impressionante ministério de oração intercessória.

No fim de "Respostas Incríveis à Oração", ele diz: "Deus tem respondido a muitas de minhas orações pelos outros. Muitas outras Ele não pode. Orar pelos outros tem sido o chamado especial e o dom espiritual que Ele me concedeu em Seu serviço. Deus trabalha de maneira diferente na vida de cada pessoa. A maior parte do tempo, Ele responde às nossas orações de maneira bem menos espetacular do que as que eu relatei [neste livro]. Mas Ele aguarda as orações de todos os Seus filhos. Ele almeja que cada um de nós ore pelos que estão ao nosso redor."

Segredo da oração eficaz

Para Morneau, o segredo da oração eficaz se encontra em Filipenses 2:5: "Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus." Mas o que significa isso? Significa pensar e sentir como Jesus pensa e Se sente a respeito da vida neste planeta caído, e começar a agir como Ele agiria se estivesse em nosso lugar.

Em outras palavras, é ter o estilo de vida resultante de uma mente justa como a dEle, em decorrência de íntima comunhão com Deus.

Muitos cristãos estão (re)descobrindo que a oração intercessória dá resultados. Por isso, procuram investir em ministérios de oração. Há na Internet vários sites, como o www.adjoi.com e o www.prayer.la, que mantêm um espaço para orações intercessórias.

Além disso, programas oficiais estão sendo organizados nesse sentido, em todo o Brasil, pela Igreja Adventista do Sétimo Dia. A ideia é que os membros da igreja reservem alguns minutos cada dia, sempre no mesmo horário, para orar por assuntos como o fim da violência e a pregação do evangelho.

Exemplos bíblicos

Jesus deixou grandes exemplos de oração intercessória. Talvez o maior deles se encontre em João 17, quando orou por Seus discípulos e por todos os que viessem a crer em Sua mensagem. Daniel, no capítulo 9 de seu livro, também faz uma bela oração em favor de seu povo cativo em Babilônia.

No caso de Sodoma e Gomorra, Abraão conseguiu que Deus reduzisse para dez o número de justos necessários para que Ele salvasse essas cidades. Ló, o sobrinho do patriarca, escapou por pouco com as filhas. Este relato, que se encontra em Gênesis 18, mostra Deus expondo Seu plano para Abraão, como que o "provocando" para interceder pelas cidades ímpias.

Outro caso semelhante é o da intercessão de Moisés pelos hebreus. Enquanto o povo recém-liberto do Egito adorava o bezerro de ouro construído por Arão, Deus dialogava com Moisés, no alto do Monte Sinai (ver Êxo. 32:9-14). Deus propõe destruir o povo e fazer dos descendentes de Moisés uma grande nação. Moisés intercede pelos israelitas, e Deus Se arrepende ou muda de ideia.

Comentando este incidente, a escritora Ellen White diz que Moisés entendeu que as palavras de Deus para Moisés deixá-Lo destruir o povo não proibiam, mas, ao contrário, incentivavam a intercessão, implicando que somente as orações de Moisés poderiam salvar Israel.

É claro que o arrependimento divino não tem nada a ver com o humano. O verbo hebraico usado aqui é naham, diferente do verbo usado para descrever, por exemplo, o arrependimento do povo. Naham pode significar também "ter compaixão" ou "ter piedade", o que faria melhor sentido neste contexto. Mas o que impressiona mesmo é o fato de que Deus respeita o livre-arbítrio humano e jamais age na vida de alguém sem que haja autorização.

E aí que entram os intercessores. É como se, ao pedirmos a Deus por alguém, O estivéssemos autorizando a atuar. Talvez por isso os cristãos sejam orientados a interceder por todas as pessoas (I Tim. 2:1). Existe poder na oração intercessória, porque é desinteressada. Ela se concentra nos outros. Afirma o poder de Deus para intervir na vida alheia. "A oração de um justo é poderosa e eficaz", diz Tiago 5:16, NVI.

Intervenção divina

Os relatos bíblicos acima são apenas alguns dos muitos exemplos de pessoas notáveis que lutaram nas suas orações pelos outros. Também temos evidências do poder da oração intercessória através da história de pessoas impressionadas a orar por alguém, e que mais tarde descobriram que a pessoa por quem oraram estava em perigo. Um bom exemplo é o da família Martins.

Certa madrugada, há 5 anos, o professor de Geografia Zulmar José Martins, de Palhoça, SC, acordou sobressaltado e com a ideia fixa de orar pelo filho Robson, que saíra de carro com amigos para uma praia distante cerca de 30 km de sua casa.

Zulmar não sabia, mas naquela noite Robson e seus amigos acabaram se envolvendo em um grave acidente, que destruiu completamente o automóvel em que estavam. No entanto, os quatro amigos saíram ilesos.

Deus não pediria que orássemos se a oração não tivesse a força de mudar as circunstâncias. Por mais difícil que seja compreender como a oração funciona, é claro que ela tem poder. Richard J. Foster escreve:

"A oração intercessória é um ministério sacerdotal, e um dos mais desafiadores ensinos no Novo Testamento é o sacerdócio universal de todos os cristãos. Como sacerdotes, designados e ungidos por Deus, temos a honra de comparecer perante o Altíssimo em favor de outros. E isto não é opcional; é uma sagrada obrigação - e um precioso privilégio - de todos os que tomam o jugo de Cristo."

Por isso, um dos melhores conselhos bíblicos é expresso em apenas três palavras: "Orai sem cessar" (I Tess. 5:17).

Princípios da oração intercessória

1. A oração intercessória é em prol da salvação e do crescimento espiritual. Ouvimos muito a respeito da oração pela salvação de uma pessoa querida. Mas não enfatizamos a oração contínua em prol do crescimento e do discipulado de alguém. Estamos mais preocupados em ter bebês do que em cuidar deles. Paulo orava pela salvação dos judeus (Rom. 10:1). E orava ainda mais especificamente pelo crescimento espiritual dos novos crentes (Efés. 1:16; 3:16; Col. 1:3 e 9).


2. Às vezes não devemos orar por algumas pessoas. Deus deu a Jeremias uma ordem que soa estranha aos nossos ouvidos: "Não Me peça mais para abençoar este povo; não ore mais em favor dele" (Jer. 14:11, A Bíblia Viva). Teria sido apropriado orar pelo arrependimento e pela salvação deles. Mas o povo de Jeremias de fato precisava da disciplina e das consequências resultantes de uma vida afastada de Deus. Se tenho uma pessoa amada que é um "pródigo", devo concentrar minhas orações em sua vida espiritual mais do que em seu conforto e sucesso.


3. A oração intercessória é poderosa. Não podemos explicar racional e cientificamente por que nossas orações podem ajudar os outros. Tem-se dito que a oração não muda a Deus, muda a nós. Porém, a Bíblia diz que a oração tem muito poder (Tia. 5:16). Há muitas perguntas sobre o que está nos bastidores do grande conflito que ainda não foram respondidas. Mas Deus nos disse que orássemos, e prometeu que a oração teria efeito.


4. Devemos orar pela cura espiritual. Uma das descrições de Jesus é que Ele amou a justiça e odiou a iniquidade (Heb. 1:9). Lutamos às vezes com o oposto. Às vezes amamos o pecado. Deus nos chama a partilhar nossas lutas com os amigos e a orarmos uns pelos outros. Prestar contas de nossa vida espiritual aos outros é fator importante. Não vamos muito longe sozinhos.
Michelson Borges

Fonte: IASD Em Foco

Quinua: um grão que vem ganhando espaço na mesa do brasileiro

A quinua desembarcou aqui há pouco tempo. Foi a partir de 2004 que ela começou a ser importada do deserto Uyuni, nos Andes bolivianos. O local fica a 3.800 metros acima do nível do mar e no inverno a temperatura pode atingir 30 graus negativos. A quinua plantada em outros lugares não tem as mesmas características nutricionais desta, cultivada em seu local de origem, onde o solo, o clima, os ventos, a salinidade do ar e a altitude são muito peculiares.

“A quinua, além de ser ótima fonte de carboidratos de baixo índice glicêmico, vitaminas, minerais e gordura saudável, contém todos os aminoácidos essenciais que nosso corpo não fabrica e que são precursores das proteínas: histidina, isoleucina, leucina, lisina, metionina, fenilalanina, treonina, triptofano, valina e arginina”, afirma a nutricionista Mariana Reis, da unidade de São Paulo da Rede de Clínicas Anna Aslan.

“Essas proteínas, formadas pelos aminoácidos, são indispensáveis para o melhor rendimento e elasticidade das fibras musculares, recuperação de tecidos e células, manutenção dos órgãos, da pele e do sistema imunológico, bem como para a produção de hormônios e enzimas”, destaca a nutricionista. Geralmente, um legume, uma verdura, um cereal ou uma fruta pode apresentar determinado aminoácido essencial em quantidade significativa e ter carência dos demais. A quinua reúne todos.

Outro diferencial do grão é a presença dos aminoácidos metionina e lisina, típicos de alimentos de origem animal como carne e ovos. “Esses dois aminoácidos estão relacionados ao desenvolvimento da inteligência, à rapidez de reflexos e a funções como a memória e a aprendizagem”, observa a nutricionista.

Riqueza no prato

A quinua também é uma boa fonte de triptofano, aminoácido ligado à produção de serotonina no cérebro, responsável pela modulação do humor, pela disposição e pelo bem-estar. “Por isso, é provável que o seu consumo regular possa ajudar a reduzir a fadiga e a depressão”, diz a nutricionista da rede de Clínicas Anna Aslan.

A quinua é livre de glúten, isso significa que os celíacos — pessoas com intolerância às proteínas presentes no glúten ou pessoas com sensibilidade alimentar ao glúten —podem saborear pães, tortas e bolos feitos com a farinha de quinua.

Em relação às calorias, a quinua contém quase a mesma quantidade de calorias do arroz. Cada 100g de quinua crua têm 374 calorias, contra 350 calorias do arroz integral cru. “E por ser rica em fibras - até mais que o arroz integral -, a quinua ajuda a aumentar a sensação de saciedade durante as refeições, melhora o funcionamento intestinal e favorece o controle dos níveis de colesterol, glicemia e triglicérides no sangue. Ou seja, pode ser um grande aliado para quem quer emagrecer com saúde”, defende o geriatra Eduardo Gomes, diretor da rede de Clínicas Anna Aslan.

Quem pode consumir

A quinua não apresenta nenhuma contra-indicação para consumo. “É um excelente alimento para crianças que necessitam de um aporte maior de proteínas e carboidratos saudáveis durante a fase de crescimento”, observa Mariana Reis.

A composição nutricional da quinua a torna um alimento perfeito para ser consumido por atletas antes e depois de exercícios físicos intensos. “Por ter baixo índice glicêmico, os carboidratos da quinua são metabolizados mais lentamente, garantindo uma reserva de energia necessária durante o esforço físico. E, devido à presença dos aminoácidos, ela ajuda a reparar o tecido muscular após o treino”, explica a nutricionista.

A quinua também pode ser um ótimo complemento alimentar para a gestante, cujo organismo precisa de 11 gramas extras de proteínas diariamente, de forma a atender às demandas do desenvolvimento do bebê. “O ideal é que a mulher mantenha esse consumo extra de proteína durante a amamentação até seis meses após o nascimento do bebê”, diz a nutricionista.

Fonte: NutricioNews

quarta-feira, 11 de março de 2009

Alimentação na TPM

Mais de 80% das mulheres, em algum momento da vida, sofrem com os desconfortos da Tensão Pré-menstrual (TPM), nome que se dá a uma série de sintomas que se manifestam antes da menstruação. Estes incluem inchaço, enxaqueca, irritabilidade, tristeza. Em alguns casos, os sintomas são tão intensos que a mulher chega a deixar de realizar suas tarefas cotidianas. Embora muitos fatores (preocupação, estresse, depressão) possam potencializar os sintomas da TPM, uma avaliação clínica poderá melhorar a qualidade de vida das portadoras.
O ginecologista é o profissional ideal para diagnosticar e tratar a TPM. Porém, muitos alimentos podem ser utilizados para amenizar os sintomas.
Pesquisas demonstram que a deficiência de certos nutrientes dá sinais que ficam mais claros no período pré-menstrual. Assim, o equilíbrio nutricional é um dos pilares do tratamento. Confira as nossas dicas e orientações paras as mulheres com TPM:

•Ingerir uma boa quantidade de alimentos ricos em magnésio, como figo, aveia e beterraba, alcachofra, quiabo,abacate,banana especialmente nos dias que precedem e também durante a menstruação;

•Consumir bastante água para evitar a retenção de líquido;

•Consumir também outros líquidos como água de coco e chás de frutas, sem açúcar;

•Dar preferência aos carboidratos complexos (pães integrais, arroz integral, gérmen de trigo);

•Incluir rodelas de batata no almoço ou jantar;

•Evitar: açúcar, doces, geléia, mel. Ingerir no máximo uma vez por semana;

•Consumir diariamente alimentos fonte de ômega –3 como atum, salmão, sardinha, arenque, semente de linhaça, óleo de canola (com moderação);

•Incluir o azeite no cardápio (um fio nas duas refeições principais);

•Consumir alimentos fonte de cálcio, leite sem lactose e derivados (iogurte naturais ,queijo branco,coalhada,etc) no mínimo três vezes por dia;

•Ingerir, diariamente, uma porção pequena de castanha-do-Pará, castanha-de-caju, nozes, amêndoas, macadâmia, avelã e pistache;

•Consumir alimentos fonte de fibras como frutas, verduras, cereais integrais, algas, leguminosas (feijão, grão-de-bico, soja, ervilha,lentilha, vagem);

•Praticar uma atividade física (sob orientação);

•Incluir produtos derivados da soja como o tofu e o “extrato hidrossolúvel” (leite de soja);

•Usar 1 copo de suco de uva roxa por dia;

•Evitar condimentos (embutidos como salsicha, salada, presunto), enlatados e alimentos ricos em sódio como molho inglês e caldos de carne.

Fonte: Nutrício

Alumínio: últil e mortal

Se seu cabelo está caindo, desconfie do alumínio... Este metal, quando em excesso no organismo, provoca grande oleosidade no couro cabeludo e vai sufocar a raiz dos cabelos. Usar xampus contra a oleosidade ajuda, mas se você não eliminar a causa, vai perder muito cabelo.
Muitas vezes, a queda de cabelos vem acompanhada de dormências ou formigamentos quando se fica na mesma posição (com as pernas cruzadas, por exemplo).

Além dos seus cabelos, todo o seu organismo está sendo prejudicado: o alumínio deposita-se no cérebro, causando o mal de Alzheimer (esclerose mental precoce) e expulsa o cálcio dos ossos, produzindo a osteoporose.
Esse cálcio vai se depositar em outros lugares, produzindo bursite, tártaro nos dentes, bico de papagaio, cálculos renais... E também vai para dentro das suas artérias, estimulando a pressão alta e a possibilidade de isquemias cardíacas (infarto), cerebrais (trombose) e genitais (frigidez e impotência).

Para o Dr. Mauro Tarandach, da Sociedade Brasileira de Pediatria, graças ao avanço da biologia molecular no que tange ao papel dos oligoelementos na fisiologia e na patologia, está bem claro o papel do alumínio nas doenças da infância. Os sintomas clínicos da intoxicação por alumínio nas crianças, além da hiperatividade e da indisciplina, são muitos: anemia microcítica hipocrômica refratária ao tratamento com ferro, alterações ósseas e renais, anorexia e até psicoses, o que se agrava com a continuidade da intoxicação.
Atualmente se utiliza a biorressonância para avaliar o nível do alumínio e outros metais. O método é muito menos dispendioso, podendo ser utilizado no consultório ou na casa do paciente.

E de onde vem o alumínio para o organismo? Das panelas de alumínio, por exemplo, que vêm sendo proibidas em muitos países do mundo.
Na Itália, famosa por seus restaurantes, nenhum deles pode usar essas panelas devido à proibição do governo italiano. É que as panelas de alumínio contaminam a comida intensamente. Para você ter uma idéia: pesquisa da Universidade do Paraná demonstrou que as panelas vendidas no Brasil deixam resíduos de alumínio nos alimentos que vão de 700 a 1.400 vezes acima do permitido.
Isso só ao preparar a comida. Se a comida ficar guardada na panela por algumas horas, ou de um dia para o outro, este valor pode triplicar ou quintuplicar.

Viu por que vale a pena trocar de panelas? Mas não é só.

Sabe as latinhas de refrigerantes e cervejas, hoje tão difundidas no Brasil? Pesquisa do Departamento de Química da PUC demonstrou que elas não são fabricadas de acordo com os padrões internacionais. Em conseqüência, seu refrigerante predileto pode conter quase 600 vezes mais alumínio do que se estivesse na garrafa.
E, além do alumínio, foram demonstrados pelo mesmo estudo mais 12 outros metais altamente perigosos para a saúde nessas latinhas, como o manganês, que causa o mal de Parkinson, o cádmio, que causa psicoses, o chumbo, que é tão encontrado no organismo de muitos assassinos, e outros. Que tal?

Prefira as garrafas, tá?
Descoberto em 1809, o alumínio é um metal muito leve (só é mais pesado do que o magnésio) e já foi muito caro. Naquela época, Napoleão III, imperador da França, pagou 150 mil libras esterlinas por um jogo de talheres de alumínio.
Esse metal tem espantosa versatilidade, sendo utilizado em muitas ligas metálicas.
Depois do aço, é o metal mais usado no mundo, seja em panelas, embalagens aluminizadas, latas de refrigerantes e cervejas, antiácidos e desodorantes antitranspirantes, assim como vasilhames para cães e gatos comerem e beberem. Nestes, pode causar paralisia dos membros posteriores, o que leva ao sacrifício precoce dos animais.
Em suma, o alumínio é muito útil... porém mortal.

Dr. Sérgio Teixeira

segunda-feira, 9 de março de 2009

Acamp de Verão no Jornal do Almoço!

Para quem não foi (eu fui rs) ou não viu, ai está o pessoal de Criciúma no acampamento de carnaval de 2009, no Iate Clube de Ibiraquera. Com alegria e demonstrando um bom retiro de Carnaval, as fotos foram mostradas no “põe na tela amarelo”, quadro onde os telespectadores do Jornal do Almoço na RBS TV (rede catarinense de televisão), apresentado por Cacau Meneses, enviam fotos de acontecimentos semanais. Estratégia claro, do programa para manter audiência, mas de boa utilidade para demonstrar desta vez que nem tudo é igual e que no mundo ainda existem pessoas que buscam a Deus em retiros. Aqui então o quadro completo:

ECOmenismo: você também está sendo envolvido!

Estamos revivendo alguns estágios históricos que contribuíram para a ascensão do horror nazista. Dentre eles, um se sobressai: o surgimento de uma religião planetária cuja deusa principal é a mãe-Natureza.

Se você é do tipo que acredita em tudo que ouve, não usa o senso critico para avaliar argumentos ou motivações implícitas, e adora causas populares, cuidado! Você pode estar sendo enganado em pleno século 21 por ideologias que se escondem por trás de palavras sedutoras do tipo:

"Quando as pessoas tentam rebelar-se contra a lógica férrea da natureza, entram em conflito com os próprios princípios aos quais se deve a sua existência como seres humanos. As suas iniciativas contra a natureza [meio ambiente] conduzirão à sua queda" (Adolf Hitler, Minha Luta, p. 213).

Ou ainda: "Não existe natureza inorgânica, não existe uma terra mecânica morta. A grande mãe regressou à vida" (Ersnt Krieck, filósofo nazista).

Estranho como possa parecer, o nacional-socialismo alemão alimentou-se da ideologia monista e panteísta de veneração à natureza, cujas sementes foram plantadas no século anterior. Ernst Moritz Arndt (1769-1860), poeta e historiador alemão, já defendia uma visão monista: "Quando alguém olha a natureza com a necessária conectividade e inter-relação, todas as coisas são igualmente importantes - as ervas, a terra, as plantas, as pessoas, as pedras -, nada em primeiro nem em último lugar, pois tudo é parte de uma unidade."

Ernest Haeckel (1834-1919), naturalista alemão, ajudou a popularizar o trabalho de Charles Darwin; também possuía uma visão negativa do ser humano; foi o primeiro a cunhar o termo "ecologia" e sustentava que "política é biologia aplicada". Os nazistas assimilaram suas idéias "científicas" sobre racismo e social darwinismo. Além de tudo, era declaradamente monista.

O ativismo ecológico também ajudou o nazismo a tornar-se tão popular. Logo surgiram o incentivo das ervas homeopáticas e as leis de defesa do meio-ambiente e de proteção dos animais (Hitler era até vegetariano). Não que haja algum mal intrínseco em muitas dessas propostas, pelo contrário, sou a favor do ambientalismo, desde que seja de forma pacífica, democrática, sem prejudicar as liberdades civis, e embasado em uma cosmovisão teísta.

Atualmente, o "consenso" sobre o aquecimento global tem levado a grande maioria da população mundial a aceitar sem questionar as implicações da tese oficial bem como as motivações que estão por trás dela. A mesma ideologia monista e panteísta que alimentou o ecofascismo germânico parece ganhar espaço no inconsciente coletivo atualmente, cujo resultado óbvio também pode ser previsto: o surgimento de um estado policial mundial para "salvar o planeta", em detrimento das liberdades individuais. O que em última análise seria um governo fascista.

O coletivismo, que ora se percebe instalar na maior república livre do planeta em nome do ECOmenismo, assemelha-se muito com aquele encontrado no nazismo ("O bem comum precede o bem individual"). Tal lema levado às últimas consequências pode produzir efeitos devastadores para a liberdade dos povos.

Mais do que em qualquer época passada, a frase "quem pouco pensa muito se engana" pode fazer grande diferença para o futuro deste planeta, e de todos nós. Então, vamos pensar juntos?

Sérgio Santeli

Fonte: Outra Leitura

Nisto Cremos

Achei algo bem interessante!
Todas as doutrinas da Igreja Adventista em PowerPoint ou em PFD dependendo de como você queira baixar.
Eis o link para acessar a página de download: Nisto Cremos

Precisamos cada vez mais nos solidificarmos em nossas crenças, pois virá dias onde tempo nos faltará para isso. Hoje, em tempo de paz e liberdade religiosa, devemos aproveitar cada segundo para estudar e adquirir conhecimentos a cerca do que professamos ser: Adventistas do Sétimo Dia.

Onde está o seu coração?

“Uns confiam em carros, outros em cavalos; nós, porém, nos gloriaremos em o nome do Senhor, nosso Deus." (Salmo 20:7)

Na década de cinquenta, Hollywood endeusou um jovem ator que, com uma combinação extraordinária de talento e beleza, foi indicado ao Oscar, quatro vezes consecutivas. Seu nome: Marlon Brando. No mês em que escrevo esta meditação, Brando encerrou o último capítulo de sua vida numa situação deprimente.

Patologicamente obeso e psicologicamente desequilibrado, a famosa estrela de outros tempos morreu no apartamento de um só quarto, sujo e dilapidado, escondendo suas duas estatuetas do Oscar dos credores que corriam atrás de uma dívida de quase 20 milhões de dólares.
Sua vida familiar tinha sido um desastre. Em 1990, seu filho Christian matou o namorado da irmã Cheyene e enfrentou um julgamento marcado por insinuações de incesto. Cinco anos mais tarde, Cheyene cometeu suicídio.

Houve momentos em que o excêntrico ator teve todo o dinheiro que quis. Bebeu e comeu do bom e do melhor. Torrou a fortuna e só encontrou refúgio numa ilha que comprou no Taiti. A realidade é que nunca teve paz. O dinheiro, o poder, e a fama não foram capazes de preencher o vazio enlouquecedor de seu triste coração.

O salmista Davi expressa isso no texto de hoje. Tudo o que você tocar, ver e possuir são miragens enganosas. Embora muitas vezes o ser humano não queira aceitar, é basicamente espiritual. E só pode ser feliz quando construir sobre o Senhor Jesus, a fonte da verdadeira paz e realização. Pena que, para entender isso, a pessoa precisa chegar a um ponto em que não sabe mais para onde ir, nem o que fazer. Olha para todos os lados buscando uma saída e só encontra sombras que o deixam cada vez mais confuso. Desespera-se, chora e busca inutilmente uma razão para estar vivo. O pior de tudo é que ninguém conhece sua angústia, porque ela habita no recôndito da alma.

Há momentos em que você se sente vazio? Tudo o que consegue não o satisfaz? Você corre e corre e não sabe exatamente atrás do quê? Antes de iniciar o dia, pense: “Uns confiam em carros, outros em cavalos; nós, porém, nos gloriaremos em o nome do Senhor, nosso Deus.”

Alejandro Bullón

Longevidade com arroz, feijão e banana!

Maria Olívia da Silva, que seria a mulher mais velha do Brasil, está completando 129 anos de vida neste sábado (28/02/09).
Ela nasceu no dia 28 de fevereiro de 1880, na cidade de Itapetininga, no interior de São Paulo, mas hoje mora Astorga (PR).

Maria Olívia se casou duas vezes, teve dez filhos e adotou outros quatro - treze ainda estão vivos. Entre netos, bisnetos, tataranetos e tetranetos, são 384 familiares.

O segredo da longevidade, segundo a aniversariante, é uma dieta à base de arroz, feijão e banana.

Nota: Depois dizem que comer carne, se empanturrar de químicos industrializados, é o melhor a se comer, e de fato o mais gostoso! Mas volto a dizer o que sempre digo: “Nem tudo o que é bom faz bem!”. Sejamos o mais temperantes possíveis na alimentação, nos afastando de hábitos alimentares desregrados e desnecessários, cuidando do nosso corpo conforme Deus nos designou fazer.

quinta-feira, 5 de março de 2009

TV e Álcoolismo de mãos dadas!


Uma pesquisa liderada por cientistas da Universidade de Radboud, Holanda, sugere que as pessoas tendem a consumir álcool quando veem pessoas bebendo em filmes ou em comerciais enquanto assistem à TV.

Os pesquisadores monitoraram o comportamento de 80 jovens enquanto eles assistiam televisão e descobriram que os que viam mais referências a bebidas alcoólicas bebiam duas vezes mais do que os que não as viam.

"Nosso estudo mostra claramente que mostrar bebidas alcoólicas em filmes e propagandas não apenas afeta as atitudes das pessoas e as regras para bebida na sociedade, mas pode funcionar como uma sugestão que afeta o desejo e o subsequente consumo de bebida", afirmou o pesquisador que liderou o estudo Rutger Engels.

A pesquisa foi publicada na revista especializada Alcohol and Alcoholism.

A equipe de cientistas dividiu os 80 jovens, com idades entre 18 e 29 anos, em quatro grupos.

O primeiro grupo assistiu ao filme American Pie - A Primeira Vez é Inesquecível, um filme com muitas referências ao consumo de bebidas alcoólicas, e também assistiu às propagandas de bebidas que interrompiam o filme.

O segundo grupo assistiu ao mesmo longa sem interrupções de propagandas.

O terceiro grupo assistiu ao filme 40 Dias e 40 Noites, longa que tem menos referências a bebidas alcoólicas, interrompido por propagandas de bebidas.

O grupo final assistiu ao mesmo longa, mas sem as interrupções.

Durante a exibição os participantes tinham acesso a uma geladeira que continha cerveja, pequenas garrafas de vinho e refrigerantes.

Os que assistiram American Pie - A Primeira Vez é Inesquecível com as propagandas de bebidas consumiram quase três garrafas de bebidas alcoólicas, em comparação a 1,5 garrafa consumida por aqueles que assistiram 40 Dias e 40 Noites sem as propagandas de bebidas.

De acordo com o pesquisador Rutger Engels as descobertas da pesquisa sugerem que existem razões para restringir as propagandas e introduzir mensagens de alerta em filmes.

Mas Engels acrescentou que são necessários mais estudos para estabelecer as implicações das propagandas e referências a bebidas em filmes sobre o consumo de álcool a longo prazo.

O diretor-executivo da organização britânica Alcohol Concern, Don Shenker, disse que o estudo reforça a necessidade de se restringir ainda mais a propaganda de bebidas alcoólicas ou de se considerar sua proibição definitiva.

"Infelizmente a propaganda e promoção de bebidas alcoólicas em filmes e na televisão geralmente apresenta o ato de beber apenas como um ritual social positivo e não mostra os danos potenciais que a bebida pode causar", afirmou.

Normas da União Europeia determinam que os anúncios de bebidas veiculados nos países do bloco não podem promover o consumo usando crianças ou mostrar a bebida como uma ferramenta para sucesso social ou sexual.

A propaganda também não pode encorajar o excesso de bebida.

Fonte: BBC Brasil

Vaticano e Charles Darwin



Nota: “Duas matérias não ocupam o mesmo lugar no espaço”, logo duas ideias contraditórias também não ocupam o mesmo lugar no espaço racional de nossa mente. Mas o que aparentemente e de fato é impossível conciliar, o Evolucionismo com o Criacionismo, tenta o Vaticano, até então auto intitulante “Igreja de Deus”, conciliar algo que destroi a Bíblia sem dar fim literal a ela, algo que joga por terra todo o sacrifício redentor de Cristo, pois do que vale crer que Cristo está agora no santuário celestial, se logo de início a criação do homem é algo fictício!? Como posso crer em algo que é duvidoso? Quem mente uma vez tem tendência a mentir outras vezes, assim, como posso crer fielmente na Bíblia como um todo se de fato a história da criação do homem não passa de uma história? Mas é isso que o Evolucionismo prega, e é isto que o Vaticano tenta consolidar com a natureza de Deus quando diz: “Nossa crença está na criação. Acreditamos que não importa como o que foi criado tenha evoluído, no fim das contas Deus é o criador de todas as coisas". (Cardeal William Levada, prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé).

Quanta blasfêmia!

Jean R. Habkost

Nota: O grande problema decorre da alegorização do texto sagrado. Ao interpretar como não histórico o relato de Gênesis, a Igreja Católica embarca numa contradição sem fim. Se a evolução foi o processo usado por Deus para criar o ser humano, como quer o papa, a morte e as doenças existiram antes do primeiro casal de humanos e, portanto, a morte e as doenças não são resultado do pecado e, sim, algo inerente à criação! Deus, no fim das contas, acaba responsável pela morte e pelas imperfeições no projeto que sempre deveria ter sido verdadeira e plenamente “inteligente”, perfeito. Ao sancionar a mudança do sábado para o domingo, em desobediência direta aos preceitos bíblicos, o papado abriu a porta para modelos como o darwinismo, que, em última instância, nega a criação segundo Gênesis. Quando mistura darwinismo e Bíblia, o papa tenta o impossível. Finalmente, seria bom que Ayala obtivesse uma explicação teológica para a origem dos “defeitos, disfunções, esquisitices, desperdício e crueldade [que] permeiam o mundo”, mas acho que não será no Vaticano que ele encontrará essa resposta. Quando se depara com uma ponte ou um prédio com defeitos, você logo conclui que ele é fruto do acaso? Ou conclui que, embora defeituosas, essas edificações pressupõem um projetista? Os defeitos no “projeto” apontam para um problema. A Bíblia dá nome a esse problema: pecado. Infelizmente, o Vaticano só contribui para aumentar o distanciamento das pessoas de Deus, ao apresentá-Lo como o criador do bem e do mau. Lamentável.

Michelson Borges

A Ira de Deus

Nota: Estou lendo com muita dedicação e oração o livro “Ira sob controle” de Larry Yeagley. Tenho esse defeito e como cristão busco a perfeição em Cristo Jesus. Tenho buscado de Deus muita sabedoria, e Ele com misericórdia tem me dado, e mais uma vez encontrei grande entendimento de Sua pessoa. Quero aqui compartilhar um pouco do que este maravilhoso livro diz sobre a "Ira de Deus".


"Na tentativa de justificar a ira descontrolada, alguns dizem: “Não acho que seja algo tão ruim. Afinal de contas, Deus fica irado. A Bíblia está cheia de incidentes nos quais Ele despeja Sua ira. Veja só Jesus. Ele virou as mesas e agitou um chicote diante dos mercadores no Templo. E disse algumas coisas bem pesadas para os fariseus”.
Em vez de ocultar-nos por trás da ira de Deus para proteger nossa própria consciência, melhor seria buscar uma compreensão mais profunda da ira divina e do que a Bíblia diz acerca da ira humana.

A ira de Deus

Jesus veio para revelar-nos o Pai celestial. Disse abertamente que se O vemos, observamos o Pai. Também declarou que Ele e o Pai são um. O estudo das reações de Jesus diante de uma provocação deve dar-nos um quadro mais claro da ira do Pai.
Considere a ocasião em que Jesus expulsou os cambistas do Templo. Em Mateus 21, Jesus derrubou mesas e cadeiras. Moedas rolaram e pombas voaram. Os mercadores fugiram, atemorizados. Com voz clara, Ele lhes disse que haviam transformado o Templo num covil de salteadores. Foi esse um ato de fúria incontrolável? A resposta vem nos versos 14 e 15: “Vieram a Ele, no templo, cegos e coxos, e Ele os curou. Mas, vendo os principais sacerdotes e os escribas as maravilhas que Jesus fazia e os meninos clamando: Hosana ao Filho de Davi!, indignaram-se.”

Tivesse eu estado no Templo quando isso aconteceu, jamais teria ficado por perto de Jesus se Ele aparentasse ser vingativo. Mas não foi isso que Ele revelou. Por esse razão, homens e mulheres piedosos se dispuseram a sentar-se a Seus pés logo após a faxina no Templo. Archibald D. Hart observou que a ira de Jesus era completamente isenta de qualquer envolvimento egoísta. Ele Se irou de forma imparcial, agindo sempre no melhor interesse dos desprivilegiados. A ira dEle não era um desejo de vingança ou uma necessidade de ferir para sentir alívio de Sua frustração. Antes, Ele Se preocupava porque os ofensores se feriam a si próprios e aos que eram afetados por sua miopia.

Os gananciosos líderes gostavam de ver a aproximação de um feriado, quando chegavam adoradores de longas distâncias. Como não era factível trazer um sacrifício consigo, de casa, esses peregrinos dependiam de comprar um no Templo. Os líderes religiosos exigiam que os adoradores o comprassem usando o câmbio do Templo. Os oficiais fixavam a taxa de câmbio em benefício próprio, e os mercadores inflacionavam o preço dos animais. No momento em que os adoradores adquiriam o sacrifício, pouco lhes restava para a viagem de regresso.

Como resultado da espoliação, muitos adoradores se afastavam dos serviços do Templo e perdiam as bênçãos da adoração. Jesus provavelmente notou a redução na freqüência e Se preocupou com o bem-estar espiritual do povo.

Eugene H. Peterson declarou: “A ira de Deus não é uma explosão emocional ou um acesso irracional, mas um aspecto de Seu perseverante cuidado.”¹

Grace Kellerman e David Hazard observaram que “Jesus enfrentou terapeuticamente o espírito desequilibrado e legalista desses homens”²

Deus designara a adoração no Templo como o momento de curar as feridas infligidas pelas asperezas da vida. Homens e mulheres que se sentiam impotentes podiam entrar e encontrar esperança renovada. Os perturbados de espírito obtinham paz. Os excluídos recebiam aceitação e coragem para sonhar com dias melhores. O culto devia ser o momento de aquietar-se e conhecer melhor a Deus. Mas os frios regulamentos e a conduta desonesta dos oficiais e mercadores do Templo afastavam as pessoas. A ira de Jesus brotou de um coração cujo anelo era que os filhos de Deus estivessem em harmonia com o Pai.

Cristo não veio a este mundo e morreu para aplacar um Deus vingativo. A Trindade completa estabeleceu o plano da salvação com base num amor apaixonado pela família humana. A cruz não foi uma questão de tentar mudar a mente do Pai. O Pai, o Filho e o Espírito Santo tinham e têm o mesmo ponto de vista. Não podemos comprar a Sua ira com os acessos explosivos e egocêntricos dos pecadores.

No Getsêmani, em fúria impulsiva, Pedro sacou sua espada e deixou o servo do sumo sacerdote com uma orelha a menos. Jesus porém, o repreendeu. “Embainha a tua espada; pois todos os que lançam mão da espada à espada perecerão” (Mateus 26:52). De lá, Jesus foi para o Gólgota, onde bradou: “Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem” (Lucas 23:34). Sua via e morte revelam um grande contraste com a ia descontrolada. Ele demonstrou verdadeiramente uma ira nascida de Sua compaixão por um mundo rebelde, um mundo que Ele queria tanto fazer eternamente feliz.

Alister E. McGrath diz que “o retrato de Deus que nos é dado pela cruz é o de um Deus abandonado, ferido, sangrando e moribundo, que emprestou novo sentido e dignidade ao sofrimento humano por ter Ele mesmo passado por sua sombra”.³

Eugene H. Peterson declara que a morte de Jesus não é trágica. Foi uma morte cuidadosamente definida, um destino voluntário. Ele Se encaminhou deliberadamente ao Gólgota, e sem hesitação. Embora Seus discípulos desejassem evitar a morte, Jesus a escolheu. Foi Sua reação vicária à ruína causada pelo arqui-rebelde, Satanás.
Sua morte foi o quadro mais claro da ira de Deus que o Universo já contemplou. Mesmo assim, a despeito de séculos de estudo, não podemos compreende-lo plenamente. Ao longo da eternidade, nunca cessaremos de nos espantar diante do evento da cruz."

¹ Eugene H. Peterson, Five Smooth Stones For Pastoral Work (Grand Rapids: Eerdmans, 2005) pág. 135.
²Grace Kellerman e David Hazard, When You Can’t Say I Forgive You (Colorado Springs: Navpress, 2000) pág. 35.
³Alister E. McGrath, The Mystery of the Cross (Grand Rapids: Review and Herald, 2000) pág. 257.

Fonte: Ira Sob Controle - Cap. 3 pág. 30 à 32