quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Linha Editorial - 3ª Parte

O que é verdade?

De maneira bem simples, verdade é “dizer aquilo que é”. Quando o governador
romano Pilatos perguntou a Jesus “Que é verdade?” cerda de 2 mil anos atrás, ele não esperou a resposta de Jesus. Em vez disso, Pilatos imediatamente agiu como se conhecesse pelo menos alguma verdade. Em relação a Jesus, declarou: “Não acho nele motivo algum de acusação” (Jo. 18:38). Ao dispensar Jesus Pilatos estava “dizendo aquilo que é”.

A verdade também pode ser definida como “a fidelidade de uma representação em relação ao modelo ou original”. O julgamento de Pilatos foi correto porque estava de acordo com a realidade. Ele representou com precisão o modelo ou o original. Jesus realmente era inocente.

Ao contrário do que tem sido ensinado em nossas escolas, faculdades e na tão popular televisão, a verdade não é relativa, mas absoluta. Se alguma coisa é verdadeira, ela é verdadeira para todas as pessoas, em todos os momentos, em todos os lugares. Toda verdade afirma ser absoluta, completa e exclusiva. Pegue a afirmação “toda verdade” e note que ela é uma afirmação absoluta, completa e exclusiva, trazendo consigo o seu oposto ( ela afirma que a declaração “Tudo não é verdadeiro” está errada). O fato é que todas as verdades excluem seus opostos, que sempre estão incluídos.

Existem muitas outras verdades sobre a verdade. Vejamos algumas delas:
  • A verdade é descoberta, e não inventada. Ela existe independentemente do conhecimento que uma pessoa tenha dela (a lei da gravidade existia antes de Newton).
  • A verdade é transcultural. Se alguma coisa é verdadeira, então ela é verdadeira para todas as pessoas, em todos os lugares, em todas as épocas (2+2=4 para todo o mundo, em todo o lugar, o tempo todo).
  • A verdade é imutável, embora nossas crenças sobre a verdade possam mudar (quando começamos a acreditar que a Terra era redonda, em vez de plana, a verdade sobre a Terra não mudou; o que mudou foi nossa crença sobre a forma da Terra).
  • As crenças não podem mudar um fato, não importa com que seriedade elas sejam esposadas (alguém pode sinceramente acreditar que a Terra é plana, mas isso faz apenas a pessoa estar sinceramente errada).
  • A verdade não é afetada pela atitude de quem a professa (uma pessoa arrogante não torna falsa a verdade que ela professa. Uma pessoa humilde não faz o erro que ela comete transformar-se em verdade).
  • Todas as verdades são verdades absolutas. Até mesmo as verdades que parecem ser relativas são realmente absolutas ( a afirmação “Eu Jean R. Habkost senti calor dia 07 de julho de 2009” aparentemente é uma verdade relativa, mas é realmente absoluta para todo o mundo, em todos os lugares que Jean R. Habkost teve a sensação de calor nesse dia).
Pode haver crenças contrárias, mas verdades contrárias é impossível! Podemos
acreditar que uma coisa é verdade, mas não podemos fazer tudo ser verdade. A questão é que nem todos admitem ser algo verdadeiro, mas isso não desfaz o fato de algo ser verdade.

Agora, como encontrar verdades? Continua...

Jean R. Habkost

Linha Editorial - 1ª Parte

Linha Editorial - 2ª Parte

Nenhum comentário:

Postar um comentário