segunda-feira, 12 de abril de 2010

Gordura - A Grande Inimiga do Coração

Você dosou seu colesterol e triglicerídios recentemente? Como está a saúde das suas artérias e do seu coração?

As gorduras, ou lipídios, são substâncias insolúveis em água produzidas por processos orgânicos endógenos (no próprio corpo) ou provenientes da dieta alimentar. Elas são formadas por moléculas de ácidos graxos e glicerol. Desempenham funções consideráveis no metabolismo de nosso corpo: são grande fonte de energia (1 grama de gordura produz 9 kcal de energia), além de serem um importante isolante térmico contra o frio (formam o tecido adiposo dos mamíferos). As gorduras são importantes para a síntese de outras substâncias, como as lipoproteínas e as vitaminas lipossolúveis (A, D, E, K). Isso significa que essas substâncias são absorvidas e transportadas apenas em conjunto com a gordura. Alguns hormônios sexuais também dependem da existência de gordura para a sua síntese.

A ingestão diária de gordura deve ser de apenas 15%. Ao ingerimos mais do que o corpo necessita, a gordura acumula-se na corrente sanguínea e, consequentemente, nos tecidos, artérias e órgãos, contribuindo para o aumento do peso corporal, obstrução progressiva das artérias, infarto agudo do coração e acidente vascular encefálico (derrame cerebral).

As gorduras podem ser divididas em saturadas e insaturadas:
Saturadas: gorduras que apresentam uma ligação simples entre carbonos que estão “saturadas” de átomos de hidrogênios. As gorduras saturadas são normalmente encontradas em estado sólido. As fontes principais de consumo são: os alimentos de origem animal, como carnes, ovos, leite e derivados (queijo, iogurte etc.); a gordura do coco; o óleo de algodão; o óleo de palma; a banha de porco; o chocolate e a manteiga de cacau.

Triglicerídeos: tipo de gordura encontrada no sangue produzida pelo fígado, produto do desdobramento do açúcar que contribui para a formação da placa de ateroma (obstrução das artérias). Valor de Referência: 80 a 150 mg/dl. As fontes principais de consumo são: doces, massas, carnes, ovos, leite e derivados, óleo de palma e álcool.

Insaturadas: gorduras, ou ácidos graxos, que apresentam uma ou mais ligações duplas de carbono em que faltam alguns átomos de hidrogênio. As gorduras insaturadas são normalmente encontradas em estado líquido. Elas são bem mais saudáveis do que as gorduras saturadas e ajudam a abaixar o colesterol “ruim” (LDL). As fontes principais de consumo são os alimentos de origem vegetal, entre eles, o abacate, as nozes e os óleos vegetais, como o óleo de girassol e o azeite de oliva.

As gorduras insaturadas se subdividem em:
Monoinsaturadas: gorduras que apresentam uma ligação dupla de carbono e, por isso, faltam dois átomos de hidrogênio. Elas estão presentes em alimentos como: azeite de oliva, óleo de girasol, abacate, amendoim, gergelim e nozes. As gorduras monoinsaturadas ajudam a reduzir o colesterol “ruim” (LDL) no sangue sem reduzir o colesterol “bom” (HDL).

Poliinsaturadas: gorduras que possuem dois ou mais pares de ligações duplas em sua molécula. Faltam-lhe, portanto, quatro ou mais átomos de hidrogênio. Quanto menos saturada a molécula, mais líquida ela será. As gorduras poliinsaturadas são encontradas nos alimentos de origem vegetal, como: leguminosas, milho, nozes e assim por diante.

Gordura Trans: tipo especial de ácido graxo formado a partir de ácidos graxos insaturados. É tão prejudicial quanto às gorduras saturadas. Trata-se de um tipo específico de gordura formada por um processo de hidrogenação natural ou industrial. A gordura trans está presente principalmente nos alimentos industrializados: bolos, biscoitos, sorvetes, margarinas, maioneses etc. Esse tipo de gordura aumenta o risco de doenças cardiovasculares, ateromas e câncer. Os alimentos de origem animal, como carne e o leite, também possuem essa gordura. É responsável por aumentar o colesterol “ruim” (LDL). As gorduras vegetais hidrogenadas também são fontes de gordura trans e altamente prejudiciais.

Ômega 3 ou Ácido Alfa Linolênico: ácido graxo poliinsaturado essencial ao funcionamento do corpo. Deve ser incluído na dieta alimentar. A ingestão de ômega 3 auxilia a diminuir os níveis de triglicerídios e colesterol total. É anti-inflamatório, antitrombótico e antiarrítmico. Possui propriedade vasodilatadora. Importante para o tratamento da depressão, sequelas de infarto, arritmia cardíaca, pressão alta, câncer, artrite e diabetes tipo 2. O ômega 3 pode ser encontrado nas nozes, no feijão soja, na semente de linhaça, na rúcula e nos óleos vegetais.

Ômega 6 ou Ácido Gama Linolêico: ácido graxo encontrado em cereais, peixes gordurosos, sementes de abóbora e girassol, óleos vegetais e azeite de oliva. Auxilia na redução dos níveis do colesterol “ruim” (LDL) e do colesterol total. Sua ingestão exagerada, porém, pode diminuir os níveis de colesterol “bom” (HDL). Protege a pele de feridas e infecções, auxilia na imunidade e possui funções sedativas. Seu excesso produz gordura trans. Cuidado! O excesso de ômega 6 tem ação inflamatória, alérgica e cancerígena aumentando o risco de câncer, morte súbita, doenças cardíacas, vasoconstricção, aumento da pressão arterial, elevação da taxa de triglicerídeos, artrite e outras doenças inflamatórias. Devemos ingerir mais ômega 3. A relação ômega 6 – ômega 3 deve ser de 2 para 1 ou até 3 para 1.

Ômega 9 ou Ácido Olêico: ácido graxo monoinsaturado responsável por promover resposta anti-inflamatória adequada. Reduz os níveis de triglicerídios e aumenta o nível de colesterol “bom” (HDL). As fontes principais de consumo são: óleo de gergelim, amendoim, semente de linhaça, macadâmia, azeite de oliva e abacate.

Colesterol: além de fazer parte da estrutura das membranas celulares, é também um reagente de partida para a biossíntese de vários hormônios esteróides, dos sais biliares e da vitamina D. Origem: obtido por meio de síntese celular pelo fígado, intestino e alguns órgãos endócrinos através de gorduras saturadas (colesterol endógeno: 70%) e da dieta alimentar (colesterol exógeno: 30%). Vale lembrar que NÃO existe colesterol em alimentos de origem vegetal. Quanto maior o nível do colesterol no sangue, maior o risco de doenças cardíacas. Todos os alimentos de origem animal são ricos em colesterol.

Tipos de Colesterol:
VLDL – transporta lipídios a vários tecidos do corpo. Valor de Referência: abaixo de 30 mg/dl.

LDL – transporta o colesterol do fígado para os tecidos. É chamado de colesterol “ruim”. Valor de referência: abaixo de 130 mg/dl. Ideal: abaixo de 100 mg/dl.

HDL – traz o colesterol das células periféricas de volta para o fígado. É chamado de colesterol “bom”. Valor de Referência: acima de 45 mg/dl. Ideal: acima de 60 mg/dl. A prática de exercícios físicos aumenta os níveis de HDL no corpo.

Colesterol Total – Valor de Referência: abaixo de 200 mg/dl. Calcula-se o ideal pela idade + 100.

Sigamos os mais sábios conselhos de Deus contidos em Sua palavra:

“Estatuto perpétuo, pelas vossas gerações, em todas as vossas habitações, será isto: nenhuma gordura nem sangue algum comereis” (Levítico 3:17).

“Grãos e frutas preparados livres de gorduras, e em condições mais naturais possíveis, deveriam ser o alimento para as mesas de todos que clamam estar se preparando para a trasladação para o céu” (Ellen G. White, Testemunhos Para a Igreja, v. 2, p. 352).

Nenhum comentário:

Postar um comentário