domingo, 28 de agosto de 2011

Adventismo - Parte 2


O Grande Conflito
Satanás contestou o caráter de Deus e Seu direito de governar o Universo. Satanás afirmou que a inadequação de Deus para governar pode ser provada pelo fato de Ele criar uma lei impossível de ser guardada. Satanás obteve grande sucesso em disseminar suas acusações no grande conflito. Ele até mesmo conseguiu que o povo escolhido do Senhor, no Antigo Testamento, pensasse que Deus era injusto e severo. Na grande apostasia após o período do Novo Testamento, Satanás convenceu os cristãos de que Deus desejava que certos rituais e obras humanas fossem feitos a fim de completar a obra de Cristo na cruz. Apenas pela leitura da Bíblia e da história da igreja, talvez você chegue a pensar que Satanás vencerá essa batalha.
Esse temor é mencionado em Daniel 8:13 por meio de várias perguntas. Até quando durará? Até quando o bom nome de Deus será por escabelo dos pés? Até quando o santuário será pisoteado? A resposta aparece no verso 14. Não, não durará para sempre. “Até 2300 tardes e manhãs; e o santuário será purificado.” Haverá um fim à difamação do bom nome de Deus. Deus será vindicado. Romanos 3:4 declara isso de forma bem direta: “Para que sejas justificado em Tuas palavras. E venças quando fores julgado.” A palavra “justificado”, nesse contexto, significa absolvido da acusação, declarado inocente, vindicado.
Jesus vindicou a lei de Deus e Seu caráter na mais nobre demonstração jamais vista sobre a Terra. Jesus demonstrou que a lei de Deus é boa e Seu caráter é amor. Uma pequena questão, porém, permaneceu sem resposta. É possível aos seres humanos pecadores, que passam metade da vida em rebelião, viver realmente sem se rebelar mais? Talvez Jesus pudesse, mas será que eles podem?
Alguns expressam o pensamento de que a vindicação de Deus foi completa na cruz, assim, nada mais é necessário para vindicar Seu caráter e governo. No entanto, a evidência é clara de que a vindicação de Deus não foi completa na cruz; que Deus está esperando por uma vindicação final antes do fim do pecado neste planeta. “Todo o céu está esperando para nos ouvir vindicar a lei de Deus” (Review and Herald – 16 de abril de 1901). Ainda há a necessidade de provar que a lei de Deus é boa e justa para os pecadores.
“Cristo aguarda com fremente desejo a manifestação de Si mesmo em Sua igreja. Quando o caráter de Cristo se reproduzir perfeitamente em Seu povo, então virá para reclamá-los como Seus” (Parábolas de Jesus, p. 69). Essa famosa citação claramente diz que a segunda vinda deve aguardar até que o caráter de Cristo seja visto em Seu povo professo. A única razão possível para tal protelação dos planos de Deus para esta Terra é que algo ainda necessita ser revelado a respeito das acusações de Satanás e do caráter de Deus.
Em Apocalipse 14:5 lemos a respeito da última geração que viverá sobre a Terra antes da volta de Jesus: “E na sua boca não se achou engano; porque são irrepreensíveis diante do trono de Deus.” Deus faz uma incrível promessa aqui. Ele declara que levantará um povo que não terá engano em sua boca ou necessidade de qualquer repreensão. Em O Desejado de Todas as Nações, na página 671, encontra-se a clássica citação: “A honra de Deus, a honra de Cristo, acham-se desenvolvidas no aperfeiçoamento do caráter de Seu povo”. Não é a nossa honra, ou a nossa salvação que está envolvida aqui, mas o nome de Deus e Seu caráter. Ele prometeu que aperfeiçoaria Seu povo. Será que Ele pode realmente fazer isso? Se Ele não pode nos tornar perfeitos, então, a Sua Palavra é mentirosa e Satanás vence o grande conflito. Simples assim.
“A honra de Seu trono foi-nos dada como penhor do cumprimento de Sua Palavra” (Parábolas de Jesus, p. 148). Sempre que Deus promete algo, Ele coloca como garantia de seu cumprimento a honra de Seu próprio nome. Seu trono estava em jogo na ocasião em que Cristo veio à Terra, e Seu trono está em jogo com relação ao que Ele fará por meio da última geração. “Todo o caráter será plenamente desenvolvido; e todos mostrarão se escolheram o lado da lealdade ou o da rebelião. Então virá o fim. Deus vindicará Sua lei e livrará Seu povo” (O Desejado de Todas as Nações, p. 763). É importante observar que Deus executa a vindicação de Seu nome, mas é também vital entender que Ele operará essa vindicação através do caráter de Seu povo. O desenvolvimento completo do caráter dos justos e dos ímpios é necessário para a demonstração final do caráter e da lei de Deus. O fim do pecado neste planeta depende claramente da vindicação de Deus ao concluir Ele o plano da redenção.
O fato de Ellen White chamar todo esse processo de expiação final é muito significativo. Na cruz, o sacrifício foi completo, mas a expiação não foi completa. Exatamente aqui temos a diferença entre o adventismo e todas as outras religiões cristãs. A expiação final está totalmente relacionada à quando e como Deus vencerá o grande conflito e quão breve será a volta de Jesus. Isso significa que o propósito da existência do adventismo é provar que Satanás é um mentiroso e que Deus está falando a verdade no grande conflito. Simples assim. Essa é a mensagem e a essência do adventismo.
A única esperança de segurança eterna contra o ressurgimento da rebelião no Universo é a comprovação total de que as acusações de Satanás são falsas, fazendo assim com que sejam para sempre descartadas e desconsideradas. Certamente, o envolvimento direto do povo de Deus é necessário para que isso aconteça. Nossa função é permitir que Deus atue em nossa vida e faça o que Ele afirmou que poderia fazer – purificar nosso coração e tornar-nos totalmente obedientes a Ele.
Você quer realmente acabar com o pecado neste planeta, meu amigo? Está cansado de ouvir falar sobre o abuso infantil? Está cansado de ouvir a respeito da violência sem sentido das guerras? Está cansado de ouvir sobre o abuso de animais sobre os quais o homem recebeu domínio? Está cansado de ouvir sobre a injustiça do sistema judicial em que geralmente a riqueza determina o veredicto do caso? Há
somente uma maneira de acabar com esses problemas – a segunda vinda de Cristo. Esses abusos não podem ser resolvidos por meio de protestos, boicotes ou tumultos. Pode ser que tais métodos aliviem um pouco o sofrimento, mas não representam a solução. A única forma de a malignidade do pecado ser contida é permitindo que Jesus volte. Observe, por favor, que não disse “esperando a volta de Jesus”. Ele é quem está esperando por nós – não nós por Ele.
A missão do adventismo é diferente da missão de qualquer outro grupo cristão que existiu até hoje. A missão do adventismo é diferente da missão da igreja cristã primitiva; é diferente da missão dos Valdenses; é diferente da missão de Martinho Lutero. Nossa missão é totalmente única. Ela nunca foi dada a nenhum outro grupo de pessoas na face da Terra. A razão para isso é que estamos vivendo no Dia da Expiação, período em que a purificação do santuário está em andamento e há temas exclusivos relacionados a esse dia.

Continua...

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Açúcar: Um Doce Veneno no Banco dos Réus

            Raros são aqueles que não gostam de beliscar algo doce pela manhã ou depois do almoço. Mas, como esse elemento consegue atrair tanto com sua doçura e sabor e ao mesmo tempo ser o grande vilão de uma gama de doenças que acomete a humanidade?
Todas as vezes que pensamos nos males do açúcar logo vem em nossa mente o Diabetes.  Mas será que essa seria a única doença degenerativa incapacitante provocada pelo doce vilão?
Estudos clínicos têm demonstrado que o açúcar está envolvido na formação de vários tipos de câncer, dentre eles, o câncer de pâncreas, intestino, mamas, ovários, rins, e sistema nervoso. Justamente por diminuir drasticamente as defesas do corpo, o açúcar tem sido relacionado a vários tipos de doenças infecciosas por reduzir a habilidade dos leucócitos (glóbulos brancos do sangue) destruírem as bactérias. A cada colher de açúcar ingerido por dia, menor o número de agentes patogênicos neutralizados pelo sistema imunológico.
O açúcar também é responsável pela hipertrigliceridemia –  só o nome já assusta. O aumento do triglicerídeo no sangue, juntamente com o colesterol, contribui para a formação das famosas placas de ateroma que obstruem as artérias, levando ao temido infarto agudo do miocárdio e ao acidente vascular encefálico ou derrame cerebral.
A lista negra de “crimes” praticados por esse réu só aumenta: cáries, mau hálito,   fermentação, má digestão, dores de cabeça, mau humor e irritabilidade, diminuição de memória, além do seu alto poder viciante. Lembrar que quando ele entra em excesso no nosso organismo, é armazenado em forma de gordura. É agente promotor de envelhecimento precoce e fadiga crônica.
Quando falamos de açúcar podemos considerar qualquer tipo, seja ele branco, mascavo, melado ou mel. Claro que o refinado encabeça o grupo por ser considerado  uma caloria vazia, ou seja, altamente desprovido de vitaminas e sais minerais. O problema é que o açúcar nem sempre entra na nossa alimentação de maneira explícita, mas escondido em boa parte dos produtos industrializados.
Não poderia terminar sem falar do Diabetes Mellitus – doença crônica que acomete 23.6 milhões de pessoas nos EUA e quase 15 milhões de brasileiros. O diabético não produz o hormônio insulina (diabetes tipo 1) ou não consegue utilizá-la adequadamente (diabetes tipo 2) com consequente aumento dos níveis de glicose no sangue. Graves são as complicações dessa doença: cegueira, insuficiência renal, impotência sexual masculina, doenças cardiovasculares, amputação de membros. Se você anda com muita sede, muita fome, urinando em grande quantidade, com sensação de fraqueza, enjoo e mal estar, procure um médico – você pode estar sendo acometido por essa temida doença.
Você deve estar pensando: então, doce nunca mais? Calma! Vamos dar uma dica de como usar o açúcar com extrema moderação sem trazer tantos agravos. O ideal é que se dê preferência aos carboidratos complexos como amidos e carboidratos associados às fibras, pois elas retardam a taxa de absorção dos açúcares simples evitando a rápida demanda de insulina pelo pâncreas. As fibras contidas em verduras, legumes e cereais fazem liberação lenta e progressiva do açúcar, ajudando a não elevar os níveis sanguíneos da glicose. Evite comer doce após uma refeição contendo vegetais verdes, pois causa fermentação e embota a mente. Pela manhã, utilize o açúcar natural da própria fruta e você verá como seu paladar ficará mais apurado; seu corpo e mente  agradecidos e saudáveis.
Esse foi o relatório da Ciência – o promotor de acusação do açúcar. Diante de tantos males produzidos por ele, alguém ousaria ser seu advogado de defesa?
Que chegue logo o dia em que um pacote de açúcar trará a inscrição: "O Ministério da Saúde adverte: este produto é prejudicial à saúde". A proposta da OMS (Organização Mundial de Saúde) é reduzir o consumo de açúcar de 19% para 10%. Já é um grande passo na conquista da saúde plena.


Dicas de Saúde:

1-     Para gripes e resfriados: melhora rapidamente com chá de meio limão espremido com 3 dentes de alho socados, um pequeno pedaço de gengibre amassado, sálvia e própolis.
2-     Para febre: A princípio tome um banho tépido (morno mais para frio), depois faça compressas frias na região da fronte, axilas e virilhas. Caso a temperatura não abaixe, tente o envoltório. Primeiro prepare um cobertor sobre a superfície da cama e logo acima um lençol úmido e frio. A pessoa com febre se deita sem roupa, somente com as pecas íntimas sobre a cama e então é feito um envelope fechando o lençol e a seguir o cobertor envolvendo o corpo. Permanecer por um período de 20 a 30 min.
3-     Furunculose e abscesso: fazer um cataplasma de cenoura ralada ou repolho, linhaça em pó e babosa e aplicar na lesão 2 a 3 vezes ao dia. Rapidamente ocorre a drenagem e resolução da infecção.

 

domingo, 21 de agosto de 2011

Adventismo - Parte 1


Há alguns anos, a Igreja Adventista do Sétimo Dia votou 28 declarações sucintas que descrevem as crenças fundamentais defendidas pelos membros da denominação. Todos os indivíduos que se tornam membros da Igreja Adventista do Sétimo Dia precisam declarar que estão de acordo com essas 28 declarações, conhecidas como 28 crenças fundamentais. Será que essas declarações definem a essência do adventismo? Será que ao lermos essas declarações chegamos ao cerne do adventismo?
Vejo as 28 crenças fundamentais dos adventistas do sétimo dia como uma cerca
que estabelece os limites de uma propriedade. Elas definem onde a propriedade termina e onde a do vizinho começa. Distinguem o adventismo de outros grupos cristãos. Mostram a razão de sermos adventistas do sétimo dia, e não batistas ou outra denominação. No entanto, será que essa cerca apresenta de forma real a casa que está dentro dos limites da propriedade? Será que as 28 crenças fundamentais traduzem a essência do que significa ser um adventista do sétimo dia?
O adventismo do sétimo dia é, além de tudo, um estilo de vida. Nós nos preparamos para o sábado na sexta-feira, vamos à igreja no sábado pela manhã e encerramos a celebração desse dia especial ao pôr do sol. Nossa dieta alimentar é um tanto diferente das dietas tradicionais. Crescemos com uma herança cultural e nos acostumamos com o estilo de vida adventista. Mas será que é isso que significa ser adventista do sétimo dia? Ou será que há algo mais que precisamos saber para entendermos a essência do adventismo?

O Início do Adventismo
Na ocasião em que Jesus morreu em prol da humanidade, a salvação pessoal foi
garantida para todo aquele que escolhesse aceitá-la? Os discípulos de Jesus podiam ter certeza, naquele momento, de que seriam salvos por meio do sacrifício expiatório de Cristo na cruz? Absolutamente que sim. Havia, naquela ocasião, algum adventista do sétimo dia ao pé da cruz? Não. Isso aconteceu 1800 anos antes que o adventismo aparecesse em cena. O perdão dos pecados e a certeza da salvação já eram oferecidos, portanto, diretamente a todos os que decidissem crer e aceitar esse sacrifício. Assim, o adventismo não foi trazido à existência para oferecer ao povo a certeza da salvação. Isso foi feito muito tempo antes de surgir qualquer adventista.
No dia em que Cristo entrou pela primeira vez como nosso Sumo Sacerdote no lugar santo do santuário celestial para interceder pela humanidade pelos próximos 1800 anos, existia algum adventista? Parece que o adventismo também não foi necessário para anunciar essa fase do ministério de Cristo. A obra de Jesus em aspergir nossas orações com o incenso da Sua justiça foi iniciada muito antes que surgisse qualquer adventista. O ministério do Espírito Santo na formação e no cuidado dos cristãos ao estabelecer a igreja não precisou em nada da existência do adventismo.
Todos esses temas são vitais para o cristianismo e devemos defendê-los como verdades importantes para nós hoje; porém, os adventistas herdaram essas verdades de outros. Essas verdades foram estabelecidas sem qualquer necessidade da existência da Igreja Adventista do Sétimo Dia. Assim, qual é a razão da existência do adventismo?
Em Apocalipse 14:7 lemos: “Temei a Deus, e dai-Lhe glória; porque vinda é a hora do Seu juízo.” A hora do juízo de Deus começou em 1844 e com ela começou a expiação final, a purificação do santuário celestial e o cancelamento dos nossos pecados. Foi nesse período que o adventismo apareceu em cena? Poderia ser que a existência da Igreja Adventista do Sétimo Dia estivesse direta e intimamente relacionada com a purificação do santuário? Seria essa a razão de sua existência? O que tudo isso significa, afinal? Quais são as questões envolvidas?
Continua....