segunda-feira, 4 de maio de 2015

Babilônia - #2 Televisão, Uma Droga Cerebral



O segundo episódio da série tem como objetivo, levantar alguns dados científicos que clareiam fatos sobre o impacto das mídias televisivas na mente e no comportamento humano.

“Se descrevermos a um psicólogo a situação de um telespectador – sem mencionar que está assistindo televisão – isto é, que está sentado estaticamente com uma luz piscando 30 vezes por segundo à sua frente, que o som vem de um ponto fixo e o ambiente está em penumbra, esse psicólogo imediatamente reconhecerá uma sessão de hipnose.” - Jerry Mander

4 comentários:

  1. Já que a tv é comparada a uma arma, não seria prudente as pessoas que se dedicam a divulgar o evangelho não usarem tal meio de comunicação para esse fim?

    ResponderExcluir
  2. Ou muito pelo contrário, talvez justamente por te esse impacto seria de grande valia o uso dos meios de comunicação em massa para o propagar das verdades bíblicas.

    Contudo, há alguns pontos que deixam a desejar, como por exemplo o fato de ser um tanto comodo utilizar a TV e outros meios, eliminando assim o contato pessoal, a ajuda mutua e os prazeres bem como dificuldades do convívio entre nós humanos.

    Mas, por outro lado, os números mostram que o alcance tem sido tão exorbitante que mal se da conta de tantas pessoas interessadas em estudar o evangelho.

    Veja, foi como terminei o vídeo, é uma faca de dois gumes, um mal necessário, um elemento que se tornou viável e que deve ser utilizado com equilíbrio!

    ResponderExcluir
  3. "O feitiço da TV reside em uma capacidade de acionar um tipo de resposta padrão instintiva, visual e auditiva a estímulos repentinos e novos. Em outras palavras é toda aquela mudança de cena rápida, os efeitos sonoros e não necessariamente as vezes o conteúdo ou a própria cor do que está sendo exibido."

    Se o conteúdo que se assiste não faz diferença, talvez seja um pouco "Robin Wood" usar a tv para pregar o evangelho. Explico, pois assistindo a um programa, estudo ou filme cristão o efeito hipnótico deve persistir, os vasos sanguíneos devem dilatar também, a luz da tv ainda pisca 30 vezes por segundo, etc. Os programas mundanos usam os efeitos hipnóticos da tv para afastar as pessoas de Deus e algumas igrejas usam os mesmos efeitos hipnóticos para aproximar as pessoas de Deus ?? Não seria mais "ético" não usar a tv para tais fins já que o cristão crê nesses efeitos maléficos televisivos ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um ponto de vista delicado, uma decisão muito pessoal, mas concordo plenamente com você meu nobre, seria muito mais ético, o povo trabalharia muito mais, sairia da zona de conforte e Cristo muito provavelmente votaria as pressas, pois a ceara finalmente estaria madura para a colheita!

      Mas, como eu disse, é uma conclusão muito pessoal, que leva tempo, maturidade e escolhas, por isso, não posso sair "batendo na cabeça" das pessoas para que todos entendam da mesma forma, pois cada um tem o seu tempo, a sua luz para cada momento da sua vida, da sua caminhada com Cristo!

      Fico feliz que tenhas compreendido isso... Pois cremos que o tempo está muito próximo e só tendo uma mente cada vez mais limpa, experimentaremos uma verdadeira e genuína experiência com o Espirito Santo.

      Excluir